PUBLICIDADE

Confira a lista de alimentos com pouca gordura indicado para os hipertensos

Nozes, castanhas, abacate e azeites são benéficos à saúde

29 mai 2021 14h02
ver comentários
Publicidade
Sementes ricas em ômega-3 como a linhaça, chia, castanha, nozes e amendoim são ótimas opções para incluir na dieta
Sementes ricas em ômega-3 como a linhaça, chia, castanha, nozes e amendoim são ótimas opções para incluir na dieta
Foto: Shutterstock / Saúde em Dia

Para controlar a hipertensão, é importante pensar na alimentação rica em frutas, legumes e alimentos integrais, como sementes, arroz, pão, farinha e macarrão integrais, e grãos como aveia, grão-de-bico e feijão.

Além disso, é importante optar por pratos com pouca gordura, leite e derivados desnatados, peixes e carnes magras. Vale também investir em gorduras boas, como o azeite para preparar os alimentos ao invés do óleo, por exemplo. As sementes ricas em ômega-3 (linhaça, chia, castanha, nozes e amendoim) são ótimas opções para incluir na dieta.  

Fique por dentro das recomendações feitas pelo nutricionista Matheus Motta.

Frutas cítricas

Acerola, laranja, goiaba, limão e outras frutas cítricas são ricas em vitamina C, que ajuda a manter a imunidade em dia e o funcionamento regular do corpo, incluindo a pressão arterial. Mas o nutricionista alerta: a ingestão de vitamina C não blinda o corpo contra infecções. "O nutriente diminui as chances de adoecer, mas não é milagroso. O ideal é manter uma alimentação equilibrada, com alimentos que tenham vitamina C e outros minerais benéficos para o corpo".

Vitamina A

Assim como a vitamina C, a vitamina A e betacarotenos também atuam como antioxidantes e podem ajudar a controlar ou evitar doenças crônicas, como a hipertensão. Essa vitamina também ajuda na melhor circulação do sangue. Manga, melancia, mamão, cenoura, abóbora, couve e espinafre são alguns exemplos.

Peixes oleosos

Atum, sardinha e salmão são peixes com alta concentração de ômega-3. Esse nutriente ajuda na resposta inflamatória, que auxilia a imunidade e o funcionamento do copo. O ômega-3 pode ajudar a controlar e evitar quadros como o de diabetes, hipertensão, problemas cardíacos, entre outros. 

Nozes, castanhas, abacate e azeite

São fontes de gorduras insaturadas, que atuam como fator de proteção contra doenças cardiovasculares pois ajudam a aumentar os níveis de HDL (colesterol bom). Vale destacar que o consumo excessivo desses alimentos é prejudicial à saúde. 

É bom se atentar e evitar o sal e substituir por ervas aromáticas que dão sabor à comida, como alho, cebola, salsa, alecrim, orégano e manjericão.

Confira  alguns alimentos que os hipertensos devem evitar ou excluir do cardápio

Ultraprocessados

A maioria é pobre em nutrientes e possui grande potencial inflamatório. "Ultraprocessados têm quantidades muito grandes de sódio, açúcares e gorduras trans. Consumi-los em excesso prejudica todo o funcionamento do corpo.

Frituras

As frituras são ricas em gordura saturada e sinônimo do colesterol "ruim", o LDL - do inglês, low density lipoprotein, ou lipoproteína de baixa densidade. Por isso podem causar o entupimento das artérias e, consequentemente, a hipertensão. O recomendado é trocar a frigideira e o óleo pela assadeira ou então utilizar fritadeiras elétricas, mais conhecidas como air fryer.

Carne vermelha

Não é proibido para quem possui hipertensão, mas deve ser consumida com cautela. Assim como as frituras, o consumo de carne vermelha em excesso pode entupir as artérias e acarretar graves problemas de hipertensão e doenças cardiovasculares. As carnes magras são mais indicadas para quem tem condições crônicas. "O peito de frango, em comparação com a carne vermelha, tem de 30% a 40% de gordura a menos e 15% menos calorias", comenta o profissional.

Sal

Ao mesmo passo em que o sal é essencial para o equilíbrio dos líquidos no corpo, o consumo excessivo é perigoso para quem sofre de hipertensão. "É essencial que hipertensos procurem nas embalagens aquele alimento com 'baixo teor de sódio', ou seja, em torno de 140 mg ou menos", sugere o nutricionista. O ideal é que o consumo diário de sódio não ultrapasse dois gramas, o que equivale a aproximadamente uma colher de chá de sal de cozinha. 

Óleo de coco

Ainda existem muitas polêmicas envolvendo os benefícios e prejuízos do óleo de coco para a saúde. Como a gordura dos óleos vegetais pode acumular-se rapidamente no corpo, contribuindo para o ganho de peso ao longo do tempo, é preciso avaliar o risco do consumo exacerbado desse ingrediente. "O óleo de coco é rico em gordura saturada, o que está associado a um risco maior de problemas cardíacos", explica o nutricionista.

Açúcar

Apesar dos alertas em relação ao consumo excessivo de sal, o açúcar também pode contribuir com o agravamento de quadros de hipertensão de forma indireta. "Consumir açúcar o tempo todo contribui para o aumento do peso. O excesso de gordura corporal pode acarretar em hipertensão, diabetes, problemas nas articulações e colesterol alto", alerta Motta.

Saúde em Dia
Publicidade
Publicidade