PUBLICIDADE

Enfermeira descobre câncer de cólon após sofrer com refluxo e arrotos

Jovem estadunidense levou mais de um ano para descobrir o tumor, já em estágio avançado, que obstruiu seu intestino

2 mai 2023 - 18h01
Compartilhar
Exibir comentários
A enfermeira Bailey McBreen descobriu o câncer após sofrer com arrotos contínuos
A enfermeira Bailey McBreen descobriu o câncer após sofrer com arrotos contínuos
Foto: Jam Press/ Arquivo Pessoal

Uma mulher incomodada com seus insistentes arrotos descobriu que o problema inusitado era um sintoma de câncer. O caso aconteceu com a enfermeira estadunidense Bailey McBreen, de 24 anos, que sofre com um câncer de cólon em estágio avançado.

Segundo o "NY Post", a jovem começou com os arrotos em 2021 durante uma viagem para Nashville com seu noivo. "Eu arrotava de 5 a 10 vezes por dia", relatou ao portal "NeedToKnow.Online". "Isso não era normal para mim. Raramente arrotava antes, e foi por isso que eu notei o quão estranho isso estava".

No entanto, a publicação conta que Bailey não buscou orientação médica até fevereiro do ano passado, quando teve um refluxo. Na ocasião, a equipe médica tratou o caso como um sintoma de ansiedade e a liberou.

Depois disso, a condição de saúde da jovem foi piorando até que em janeiro, quando Bailey sentia uma dor "excruciante", perda de apetite e até dificuldade para ir ao banheiro, ela voltou ao hospital e, enfim, recebeu o diagnóstico: estágio três de câncer com o tumor obstruindo o intestino grosso.

"Nunca, em um milhão de anos, pensei que qualquer sintoma vago que eu tivesse fosse, na verdade, câncer de cólon de estágio três". A explicação do oncologista de Bailey foi de que os arrotos eram os primeiros sintomas da doença.

Bailey mostrou a marca da cirurgia para remoção do tumor
Bailey mostrou a marca da cirurgia para remoção do tumor
Foto: Jam Press/ Arquivo Pessoal

"Acredito que isso esteja relacionado a meu novo refluxo gastroesofágico, que começou logo depois, cerca de um mês após o desenvolvimento dos arrotos excessivos", acrescentou. O refluxo, assim como os arrotos, era uma decorrência da obstrução intestinal que o câncer provocou nela.

Com a descoberta, Bailey foi submetida a uma cirurgia de emergência ainda em janeiro para remover o tumor. Desde então, ela segue o tratamento com sessões de quimioterapia que devem ser concluídas em agosto.

Entenda o câncer de cólon

Segundo Artur Ferreira, médico oncologista do CPO/Oncoclínicas, a maioria dos casos de câncer de cólon surgem por meio da transformação maligna das células que revestem os órgãos. Ou seja, o problema tende a ser grave. Por isso, é necessário ter atenção.

"Possuem inúmeras causas, entre as quais se destacam sobrepeso e obesidade, sedentarismo, tabagismo e etilismo. Além de alto consumo de carne vermelha e carne processada, baixa ingestão de fibras e vegetais, diabetes e infecções como hepatites B e C, infecção pelo Helicobarter Pylori e infecção pelo Papilomavírus Humano, o HPV", explica.

Além disso, de acordo com Renata D'Alpino, líder da especialidade de tumores gastrointestinais, sangue nas fezes pode ser um indício inicial de que algo não vai bem na saúde. "Muitas pessoas costumam creditar essa ocorrência a outras causas convencionais, como hemorroidas. E acabam postergando a busca por aconselhamento médico e a realização de exames específicos. Isso faz com que muitas pessoas só descubram o câncer em estágios avançados", clarifica.

A médica afirma que muitas vezes o tumor só é descoberto tardiamente, diante de sintomas mais severos. Como, por exemplo, anemia, constipação ou diarreia sem causas aparentes, fraqueza, gases e cólicas abdominais, ou até mesmo emagrecimento.

*Com informações de texto publicado no dia 29 dez 2022 no Terra Você.

Fonte: Redação Terra Você
Compartilhar
Publicidade
Publicidade