PUBLICIDADE

Como um tumor pode chegar a quase 50kg? Entenda os tumores gigantes

Jovem retirou tumor de 47 kg; conheça os sintomas e saiba como tratar o problema

3 abr 2023 - 15h05
(atualizado às 16h55)
Compartilhar
Exibir comentários
Imagem meramente ilustrativa de uma médica mostrando o ovário
Imagem meramente ilustrativa de uma médica mostrando o ovário
Foto: Ivan Balvan / iStock

Uma jovem de 20 anos virou notícia nos Estados Unidos após retirar do ovário um tumor que pesava 47,1 kg. Ela sofria com sintomas como um ciclo menstrual que durou um ano inteiro até descobrir o problema.

O caso aconteceu na Flórida, em 2021, mas ganhou repercussão internacional recentemente após entrevistas. Allison Fisher disse ao jornal local "News4Jax", de Jacksonville, que a menstruação de longa duração foi sua primeira suspeita de que algo estava errado. No entanto, ela não buscou atendimento médico por não ter plano de saúde nem condições de pagar por um atendimento particular — os serviços de saúde têm custo alto no país.

Para Alisson, que apresentava um quadro de obesidade, o problema seria resolvido se ela perdesse peso. Mas a condição só se agravou e a jovem passou a sentir fortes dores. "Eu me sentia como se estivesse grávida de dez filhos. Não conseguia deitar de barriga para baixo, parecia que todos os meus órgãos estavam sendo esmagados", relatou ao programa.

Em meio ao avanço dos sintomas, ela ainda perdeu a mãe para um câncer, o que a impulsionou a buscar ajuda médica para si. Antes disso, segundo o tablóide inglês "Daily Mail", Allison teve ainda um forte sangramento vaginal. 

Só em novembro daquele ano, a jovem descobriu o tumor não cancerígeno e foi encaminhada para a cirurgia de remoção. O tumor de 47kg media cerca de 50 cm x 50 cm.

Allison Fisher com seu tumor no ovário de quase 50kg
Allison Fisher com seu tumor no ovário de quase 50kg
Foto: Reprodução/ WJXT

"Eu me sinto muito mais leve. Me sinto como uma pessoa, posso usar roupas, posso fazer coisas que as pessoas normais podem fazer", destacou Alisson após o procedimento. Com o tumor, ela chegou a pesar 226 kg.

Como um tumor pode chegar a quase 50kg?

O ginecologista Marcelo Cavalcante, especialista em reprodução humana, explica que tumores ovarianos benignos podem ser de diferentes tamanhos e, inclusive, crescer rápido e exageradamente, como o de Allison. "Nesses casos, à medida que o tumor cresce, ele vai se acomodando na cavidade pélvica e abdominal. Em algumas situações, pode evoluir com complicações que necessitam de atendimento de urgência", ressalta o médico.

No caso da jovem americana, ele acredita que, além da dificuldade de acessar serviços de saúde, o quadro de obesidade que ela apresenta pode ter ajudado a mascarar a percepção da massa ovariana.

Tumores gigantes são comuns?

Não. Marcelo Cavalcante explica que alguns tumores ovarianos têm como característica grandes volumes, mas o de Allison é bem maior que os observados na maioria das pacientes.

Segundo o médico, os tumores volumosos mais conhecidos são cistoadenomas serosos e mucinosos de ovários. Eles atingem pessoas entre 20 anos e 50 anos e possuem um risco de malignidade menor que outros tipos de tumores. Por outro lado, apresentam um conteúdo líquido interior como uma espécie de "bexiga de aniversário" gigante, por isso o tamanho expressivo.

Tumores gigantes prejudicam o funcionamento de outros órgãos do corpo?

Sim. "Geralmente, os tumores benignos não invadem outras estruturas, entretanto, eles podem pressionar órgãos vizinhos, como intestino, rim, bexiga e estômago, prejudicando o funcionamento por compressão externa", esclarece o ginecologista.

Quais os sintomas de tumor no ovário?

Há diversos sintomas, pois há diversos tipos histológicos de tumor. O pior: muitos deles sequer apresentam sintomas no estágioinicial de crescimento. Tal condição reforça a necessidade de check-up médico anual com o ginecologista para acompanhamento de eventuais problemas.

Com a evolução do tumor, os sintomas podem ser alterações na menstruação, dores pélvicas, aumento do volume abdominal, náuseas, vômitos, alterações no hábito intestinal e perda de apetite.

Qual o tratamento?

O único caminho para o tratamento é a cirurgia para remoção total do tumor. Quando se trata de um tumor maligno, é preciso ainda análise para avaliar a necessidade de quimioterapia ou radioterapia complementar.

Fonte: Redação Terra Você
Compartilhar
Publicidade
Publicidade