PUBLICIDADE

Como a diabetes aumenta o risco para câncer

20 ago 2018 07h12
ver comentários
Publicidade

As pessoas com diabetes já têm uma lista crescente de complicações e preocupações que enfrentam todos os dias, incluindo o risco de desenvolver condições tais como retinopatia em seus olhos, bem como neuropatia em seus dedos das mãos e pés. Agora, um estudo recente trouxe mais atenção para uma questão ainda mais preocupante para os diabéticos: o câncer. Pesquisadores do Instituto George para Saúde Global disseram que analisaram de perto quase 20 milhões de pessoas em todo o mundo e concluíram que as pessoas que vivem com diabetes tipo 1 e tipo 2 têm uma incidência significativamente maior de câncer. Eles disseram que as mulheres diabéticas estão em risco ainda maior com uma probabilidade 27% maior de câncer do que as mulheres sem diabetes. A resposta para por que pessoas com diabetes são mais propensas a desenvolver câncer não é exatamente clara, mas existem várias teorias.

O primeiro colocado pelos pesquisadores do estudo é que níveis elevados de glicose no sangue podem â??danificar o DNAâ?, um desenvolvimento que é uma causa conhecida de câncer. Outra teoria propõe que o ambiente dentro do corpo de alguns diabéticos é ideal para o crescimento do câncer. A obesidade também está desempenhando um papel importante aqui naqueles com diabetes tipo 2. Tanto a obesidade quanto o diabetes tipo 2 estão associados a anormalidades metabólicas que podem promover a progressão do câncer. A inflamação global existente em pessoas com qualquer tipo de diabetes é um fator contribuinte significativo.

Esta inflamação pode levar à resistência à insulina dentro de outros tecidos corporais e, portanto, leva a níveis mais altos de insulina e a necessidades mais elevadas de insulina. Níveis mais altos de insulina podem levar a um aumento em outros hormônios que podem promover o crescimento celular e o crescimento do câncer também. Em conjunto, é provável uma combinação dos níveis elevados de glicose no sangue, altos níveis de insulina, maior ação do fator de crescimento semelhante à insulina 1 (IGF1) e o conhecido ambiente inflamatório em pacientes com diabetes e obesidade que leva ao aumento do crescimento de células cancerígenas. Independentemente do sexo, não há como argumentar que quanto mais diligente uma pessoa com algum tipo de diabetes é com uma dieta composta principalmente de alimentos integrais, exercícios físicos, monitoramento dos níveis de glicose no sangue diariamente, ajuste de medicamentos com o apoio de sua equipe de saúde, e manter um peso saudável reduzirá o risco de câncer.

 

Referência

 

Ohkuma, T. ET al. Sex differences in the association between diabetes and cancer: a systematic review and meta-analysis of 121 cohorts including 20 million individuals and one million events. Diabetologia , July, 2018.

 

Estadão
Publicidade
Publicidade