2 eventos ao vivo

Saiba como surge o sentimento de culpa e o que ele pode causar

Thaís Sabino

As cenas em que a mulher devora um pote de sorvete após terminar o namoro ou em que o homem entra em um bar e sai de lá carregado depois de levar um fora não estão à toa nos roteiros de cinema. Geralmente, os personagens se sentem culpados e buscam meios de fuga para aliviar o sentimento. A culpa é vista como um arrependimento por uma atitude tomada. Segundo a psicóloga Olga Inês Tessari, ela surge do anseio à perfeição. "Quanto melhor uma pessoa querer ser, menos ela admitirá erros", disse. Olga afirma que a culpa está ligada ao contexto cultural em que "surgiu" a raça humana. Ela dá como exemplo a história religiosa de que Eva mordeu a maçã proibida e, por isso, todos pagam por culpa dela, quando na verdade o ser humano é imperfeito, erra e não deveria se culpar.

Entretanto, o psicólogo e psicanalista Julio Cesar Walz enxerga o sentimento de uma forma diferente. Segundo ele, a culpa é um "delírio de grandeza". Walz explica que a culpa faz com que a pessoa acredite que pode controlar a vida e, quando algo sai de uma forma inesperada, este indivíduo busca respostas para aquela situação e, então, acredita que algo que fez causou o acontecimento ruim. "A culpa surge como uma forma de a pessoa tentar superar ou dissimular a sua insignificância pela condição de ser humano", disse Walz. De acordo com psicólogo, a culpa é o cultivo e manutenção da sensação de que tudo depende da pessoa e é ocasionado por ela. "A vida acontece de forma independente", concluiu.

O psicanalista e psiquiatra Paulo Sérgio Guedes acompanha Walz na definição do sentimento de culpa. Segundo ele, o sentimento é a causa de uma série de problemas e não consequência de algo feito. Eles acreditam que uma pessoa não se sente culpada porque fez algo e que esta é uma sensação ilusória de poder, de autovalorização, para tentar superar a real condição de insignificância do ser humano. No livro O Sentimento de Culpa, escrito pelos psicanalistas, o sentimento é abordado como a não aceitação dos defeitos, erros e falta de importância que tem cada indivíduo. "A pessoa não quer ir à academia, se sente mal por isso, mas é a culpa que a coloca como importante e perfeita demais para não poder deixar de ter vontade de fazer exercícios naquele dia", exemplifica Walz. "Este sentimento de grandeza nem faz a pessoa ir à academia, nem ficar em casa sossegada, ela fica sofrendo remorso", explica.

De acordo com Guedes, o sentimento de culpa torna a pessoa prisioneira de uma ideia fixa. "Ela deixa de ser quem é para se tornar o crítico desta pessoa", explicou. A motivação pode ser concreta ou imaginária, segundo ele. Os problemas surgem quando o remorso é guardado. A culpa é a única causa de doenças mentais de origem emocional, de acordo com Julio Cesar Walz e Paulo Sérgio Guedes. "Trata-se de uma dívida impagável", define Walz. As consequências de guardar o sentimento vão desde tratar mal os outros, viver encontrando culpados para tudo, reclamar sempre; como depressão, alcoolismo, vício em drogas e isolamento, segundo os profissionais entrevistados pelo Terra.

Como lidar
Para o psiquiatra Paulo Sérgio Guedes, o primeiro passo para enfrentar o problema é identificar o sentimento de grandeza. Depois, a pessoa deve saber que a vida não é controlável e que o ser humano pode errar. Segundo ele, é preciso entender a diferença entre responsabilidade e culpa. Culpa é o sentimento originado da ideia de que as coisas têm que acontecer como a pessoa quer, responsabilidade é assumir que você é responsável por suas atitudes, explicou.

De acordo com a psicóloga Olga Inês Tessari, é preciso aprender com o erro, para não cometê-lo de novo. "Depois de colocar a raiva para fora, aprende e entende que os erros acontecem", aconselhou ela. Confira na galeria de fotos o que guardar o sentimento de culpa pode causar.

A vontade de se isolar é comum quando a pessoa sente remorso
A vontade de se isolar é comum quando a pessoa sente remorso
Foto: Getty Images
Fonte: Terra
publicidade