PUBLICIDADE

Apenas 5-10% de perda de peso corporal fornece benefícios surpreendentes para a saúde

4 set 2018 07h11
ver comentários
Publicidade

Uma nova pesquisa mostra como a perda de peso é benéfica para a saúde cardiometabólica. Perder apenas 5% a 10% do peso corporal tem enormes benefícios, enquanto a perda de um quinto do peso reduz o risco de síndrome metabólica. A obesidade é um fator de risco conhecido para inúmeras doenças crônicas, desde doença cardíaca até diabetes e câncer. Embora muitas pessoas sejam bem-sucedidas em curto prazo, a maioria das pessoas que fazem dieta provavelmente concorda que alcançar a perda de peso em longo prazo é a meta final - e muitas vezes mais desafiadora. Perda de peso em longo prazo é definida como perda de 5% a 10% do peso total de um indivíduo. Embora perder um pouco de peso seja bom, o novo estudo - liderado por Greg Knell, pesquisador de pós-doutorado no Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas em Houston - destaca a importância de perder pelo menos 5% do peso corporal para sempre para uma boa saúde metabólica.

O estudo revelou que os participantes que conseguiram perder 5-10% do seu peso foram 22% menos propensos a desenvolver síndrome metabólica, que é um termo genérico que descreve vários fatores de risco para doenças cardíacas, diabetes e acidente vascular cerebral. As pessoas que perderam mais de 20% de seu peso se beneficiaram ainda mais. Esses indivíduos eram 53% menos propensos a ter síndrome metabólica. No entanto, o estudo também revelou como poucas pessoas são bem sucedidas em seus esforços de perda de peso; 62% dos participantes foram incapazes de se livrar dos quilos extras, apesar de seus melhores esforços. Pesquisas futuras devem continuar explorando estratégias eficazes para ajudar as pessoas a alcançar e manter um peso saudável, que inclua estratégias individuais e apoio social.

Referência

Knell, G. ET al. Long-Term Weight Loss and Metabolic Health in Adults Concerned With Maintaining or Losing Weight: Findings From NHANES. Mayo Clin Proc. 2018.

Estadão
Publicidade
Publicidade