1 evento ao vivo

Será que animais de estimação sentem mais fome no inverno?

2 jun 2017
11h29
  • separator
  • comentários

Com a chegada do frio, donos de cães, gatos e outros bichinhos precisam se preocupar com o bem estar de seus pets. Uma dúvida muito frequente nesta época é sobre a alimentação. Afinal, eles sentem mais fome no frio? É preciso aumentar a quantidade de alimento? A resposta é: não!

Cuidado: aumentar a quantidade de comida de deus bichos no inverno pode causar sobrepeso.
Cuidado: aumentar a quantidade de comida de deus bichos no inverno pode causar sobrepeso.
Foto: iStock

Embora algumas pessoas incrementem as refeições dos pets, alegando que eles precisam de mais calorias para manter a temperatura corporal, essa conduta está errada. Sem saber, essas pessoas estão contribuindo para um desequilíbrio alimentar, que pode levar a um quadro de sobrepeso e até mesmo à obesidade de seus animais.

Segundo a médica veterinária Keila Regina de Godoy, gerente de capacitação técnico-comercial da PremieR pet, empresa especialista em alimentos para cães e gatos, o inverno brasileiro pode ser considerado ameno e não implica em uma maior necessidade calórica para os pets.

“Principalmente se levarmos em conta que a grande maioria dos cães e gatos que têm dono vive dentro de casa e não fica exposta por longos períodos às baixas temperaturas. Além disso é comum o uso de camas, roupinhas e cobertores para proteger do frio”, explica, Keila.

A veterinária explica que o inverno brasileiro é diferente de países onde o frio é bem mais intenso e, de fato, o organismo do animal tem um gasto energético adicional para manter a temperatura corporal. “Nesses locais de inverno rigoroso, sim, os cães e gatos podem necessitar de um incremento na quantidade de alimentação para compensar as necessidades, principalmente se frequentam áreas externas à residência”, esclarece.

Portanto, vale o alerta: em país tropical como o Brasil, o inverno não é desculpa para aumentar a comida do pet. “Exceto se o animal viver ao relento em um local de frio intenso, por exemplo, um cão de pastoreio no Rio Grande do Sul”, exemplifica Keila. Em caso de dúvidas, ela orienta consultar sempre o médico veterinário antes de mudar algo na alimentação dos animais.

Por outro lado, nesses meses mais frios, é muito importante não descuidar da hidratação do seu bichionho de estimação, pois ele pode sentir menos sede e ingerir menos água. Vale, então, caprichar na oferta de água sempre limpa e fresca e evitar muita exposição a aquecedores.

Antes de qualquer mudança na alimentação de seu pet é recomendado procurar um veterinário.
Antes de qualquer mudança na alimentação de seu pet é recomendado procurar um veterinário.
Foto: iStock

Veja também

 

Fonte: Equipe portal

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade