0

Mulheres Positivas entrevista Taciana Veloso, sócia da Index

7 jan 2019
13h22
atualizado às 13h22
  • separator
  • comentários

Nossa primeira mulher positiva de 2019 é Taciana Veloso, sócia co-fundadora da Index. Uma das profissionais mais bem relacionadas do mercado, Taciana nos conta um pouco mais sobre a sua trajetória e como consegue há mais de 20 anos seguir inovando e conquistando novas linhas de negócios.

Taciana Veloso
Taciana Veloso
Foto: Lu Prezia

1. Como começou a sua carreira?

Comecei fazendo estágios durante a faculdade de Jornalismo, passei pela TV Bandeirantes, revista de automóvel e então trabalhei como assessora de imprensa da Fórmula Academia, na época uma grande academia. Lá aprendi na prática, foi uma escola e tanto. Ainda na faculdade, conheci minha sócia Sussu Vidigal Ramos e, quando nos formamos, em 1996, abrimos a Index. Naquela época, o cenário era completamente diferente de hoje. Não havia internet e nem agências no modelo da Index. Nosso primeiro cliente foi a Fórmula Academia (que ficou conosco por 10 anos). Logo também começamos a trabalhar para um arquiteto e para Mixed, nossa primeira cliente de moda, que está conosco até hoje. Bom, aí de lá pra cá é uma longa história.

2. Como é formatado o modelo de negócios da Index Conectada? Recentemente o nome foi de Index Assessoria de Imprensa para Index Conectada, qual foi o motivo desta mudança?

Nosso mercado muda constantemente e vem se transformando ao longo dos anos. Nós sempre estivemos atentas a isso, abertas a mudanças e conectadas com o espírito do nosso tempo, observando e desenvolvendo estratégias para comunicar e posicionar nossos clientes de forma assertiva.
Nosso propósito é Conectar Sonhos para Fazer Acontecer.

A Index se transformou em uma agência que desenvolve estratégia de comunicação, RP, Digital, gera conteúdo, estratégia de influenciadores, concepção e produção de eventos, projetos especiais e inteligência de negócios. A conexão está presente em tudo que fazemos. A Index não mudou de nome, continua sendo Index, mas nossa presença digital (e-mail, site e redes sociais) que era Index Assessoria mudou para Index Conectada. Concluímos que seria mais coerente com nossa realidade e modelo de negócio atual. O interessante é que o nome Index Conectada surgiu de uma semente plantada há 2 anos quando iniciamos um trabalho com o Portal Ecoera para adotarmos práticas sócio-ambientais. Esse projeto foi denominado #indexconectada. Criamos uma agenda de atividades para promover atitudes e consciência socio ambiental dentro e fora da Index.

3. Qual foi o momento mais difícil da sua carreira?

É interessante refletir sobre isso, pois não houve um momento mais difícil, mas posso dizer que nesses 22 anos de Index, vivi inúmeras situações muito difíceis. Elas fazem parte da história e não há conquistas nem sucesso sem dificuldades. Eu acho que a gente aprende a lidar e também amadurece e se fortalece com isso. Há uma dualidade aí, para mim os desafios e as dificuldades andam na maioria das vezes de mãos dadas com as realizações. E como num jogo em que a cada fase que você passa os obstáculos são maiores. Na vida é assim também, o lado bom é que nossa capacidade de resolver também cresce. Eu tenho muita fé e isso nunca me deixou desistir mesmo nos momentos mais delicados.

4. Como você consegue equilibrar sua vida pessoal com sua vida corporativa/empreendedora?

Eu sempre digo que é uma aventura, mas eu amo minha vida, sou muito realizada graças a Deus e faria tudo de novo igualzinho. Estou sempre online, o que não me incomoda, gosto de responder e resolver as questões com rapidez e agilidade. Isso me ajuda muito na produtividade. Tenho um excelente time na Index, com pessoas experientes e comprometidas, que estão há anos conosco, além de minhas sócias Sussu e Letícia com quem tenho sinergia total e uma troca muito positiva. Em casa conto com pessoas maravilhosas, além de minha família e meu marido, que me apoiam e ajudam muito. Tenho três filhos que estão sempre por perto. E tenho os meus momentos de self care essenciais para saúde e bem estar físico e mental. Amo viajar e sempre que posso saio nem que for para poucos dias. Tento conciliar da melhor forma. Se vejo que estou errando, vou atrás para corrigir, encaro a vida com leveza, como um grande aprendizado.

5. Qual o seu maior sonho?

Viver num país melhor, em que questões essenciais à dignidade humana - saúde, educação, saneamento básico, trabalho e moradia - sejam acessíveis a todos. Um Brasil mais justo, seguro e próspero.

6. Qual a sua maior conquista?

A vida que tenho hoje com minha família e a Index, minhas duas grandes paixões.

7. Cite um livro, filme e mulher que admira.

Um livro que acabei de ler e tem tudo a ver com Mulheres Positivas é 'Becoming' de Michelle Obama. É inspirador e arrebatador, adoro biografias. Gosto de vários (filmes) e de diferentes estilos, mas 'A Teoria de Tudo' sobre a vida de Stephen Hawking e 'Extraordinário' são para vida. Admiro tantas mulheres... Elas fazem parte da minha vida todos os dias e me inspiram muito, mas sem dúvida a grande mulher da minha vida é minha mãe, uma pessoa que me ensinou desde cedo a ir em frente sem medo, a viver a vida intensamente, a amar o próximo e cuidar daqueles que precisam.

Veja também:

Mulheres Positivas recebe Carla Beltrão, diretora do Terra
Mulheres Positivas entrevista empresária Fabiana Justus
Mulheres Positivas: Patricia Carta

 

Mulheres Positivas

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade