0

Não há ligação entre autismo e vacina, reforça estudo

Pesquisa analisou mais de 600 mil crianças e descartou relação entre transtorno e imunização contra rubéola, caxumba e sarampo

6 mar 2019
18h34
atualizado às 19h41
  • separator
  • comentários

A especulação de que vacinas causam autismo nas crianças vem de longa data. Apesar de não haver comprovação, isso tem levado alguns pais ao redor do mundo a não imunizarem seus filhos. Isso pode ser a causa do retorno de doenças muito perigosas, como sarampo.

Um estudo publicado na terça-feira (5) analisou a fundo a relação entre a vacina tríplice viral (contra sarampo, rubéola e caxumba) e o diagnóstico de autismo em crianças. Essa vacina é oferecida a crianças de 1 ano e reforçada com a tetraviral aos 15 meses.

Não há ligação entre autismo e vacinas, reforça estudo
Não há ligação entre autismo e vacinas, reforça estudo
Foto: Getty Images / Minha Vida

Os pesquisadores dinamarqueses cruzaram dados de 657.461 crianças nascidas entre 1999 e 2010 e acompanhadas até 2013. Eles também levaram em conta o histórico familiar e outros fatores de risco para o desenvolvimento do transtorno do espectro autista.

Quando compararam as crianças que receberam a tríplice viral com as que não haviam sido vacinadas, não encontraram nenhuma diferença nas taxas de diagnóstico autista. Com isso, eles concluíram que a vacina não aumenta o risco para o autismo e não desencadeia o autismo em crianças suscetíveis.

A pesquisa foi feita em uma parceria entre o Instituto Statens Serum, a Universidade de Copenhagen e a Universidade de Stanford.

Sintomas de Autismo

A maioria dos pais de crianças com autismo suspeita que algo está diferente antes de a criança completar 18 meses de idade e busca ajuda antes que ela atinja 2 anos. As crianças com autismo normalmente têm dificuldade em:

  • Brincar de faz de conta

  • Interações sociais

  • Comunicação verbal e não verbal

Algumas crianças com autismo parecem comuns antes de um ou dois anos, mas de repente "regridem" e perdem as habilidades linguísticas ou sociais que adquiriram anteriormente. Esse tipo de autismo é chamado de autismo regressivo.

Uma pessoa com autismo pode:

  • Ter visão, audição, tato, olfato ou paladar excessivamente sensíveis (por exemplo, eles podem se recusar a usar roupas "que dão coceira" e ficam angustiados se são forçados a usá-las)
  • Ter uma alteração emocional anormal quando há alguma mudança na rotina
  • Fazer movimentos corporais repetitivos
  • Demonstrar apego anormal aos objetos

Entenda os sinais do autismo nas brincadeiras, comunicação e na interação social. 

Veja também:

 

Minha Vida

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade