4 eventos ao vivo

Depressão em pets: saiba quais são as causas, os sintomas e tratamentos

Confira quais são os sintomas manifestados em cães e gatos e como tratá-los da melhor maneira

31 ago 2020
13h19
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Depressão em animais
Depressão em animais
Foto: Shutterstock / Alto Astral

A depressão é uma doença psiquiátrica muito comum em pessoas, mas que também pode se manifestar nos pets, como cães e gatos. A depressão em animais pode ser desencadeada por diversos fatores externos a eles. A principal causa é a ausência do dono, como aponta a médica veterinária Ana Carla Bruscki.

"Além de fatores que venham a modificar a rotina e o relacionamento entre o animal e dono, tais como: mudanças de hábitos, horários, novo integrante na família ou na casa, acarretando, consequentemente no quadro depressivo", acrescenta Ana Carla.

A depressão em animais pode ser identificada por meio de alguns sinais dados pelos pets, como a apatia e a falta de apetite. Mas, fique tranquilo porque tem tratamento! Saiba como identificar e curar a depressão em animais com as dicas da profissional e confira quais raças merecem uma atenção a mais em relação a doença.

Como identificar e curar a depressão em animais

Principais causas da depressão em animais

Uma das principais causas da depressão em animais é a falta do dono. Por conta do cotidiano corrido, trabalho, faculdade e outros compromissos, muitas vezes o pet é deixado sozinho em casa por bastante tempo.

A chegada de outro animal também pode ser a causa da doenças. Assim como o nascimento de uma criança. Isso porque toda a atenção que era para o único cachorro, a partir de então vai ser dividida.

Outro fatores, como mudança de hábitos na rotina, alteração dos horários de passeios e de alimentação, mudança de casa ou ambiente que o animal já estava acostumado e até perda de algum ente querido também podem levá-los ao quadro depressivo.

Durante, e também pós-quarentena, é importante que os donos ensinem e introduza os novos hábitos com muita calma e paciência, além de ficarem atentos com os sinais. Isso porque o home office, e posteriormente o trabalho fora de casa, mudam completamente a rotina dos pets. Podendo, muitas vezes, apresentarem sinais de depressão.

Sintomas

Algumas mudanças de comportamento do animal podem apontar a doença, como lamber e morder as patas de forma excessiva. O aparecimento de dermatites, perda de peso, apatia, isolamento e distanciamento dos donos e outros animais, falta de apetite e ânimo para brincar e passear também são alguns sinais de que ele pode estar com a doença.

Tratamento

Caso seja diagnosticada a depressão em animais por um veterinário, é preciso mantê-lo ativo com brincadeiras, passeios ao ar livre, enriquecimento ambiental e adestramento.

Além de atenção, você precisa procurar um veterinário para confirmar a necessidade de prescrição de remédios e, também, a visita de um terapeuta de cães para dar as orientações necessárias.

No caso dos felinos, é bom deixá-los em locais onde possam escalar ou se esconder. Pois, quando estão depressivos podem apresentar um comportamento agressivo e miados altos e frequentes.

Remédios

No mercado veterinário existem florais, homeopatia e remédios alopáticos para depressão e outros problemas psicológicos. A consulta com um profissional da área é indispensável para uma prescrição precisa do medicamento. Além disso, os florais são menos agressivos e apresentam menores custos aos donos.

Como evitar

Prevenir sempre é melhor que remediar, não é mesmo? Para a depressão não acontecer é preciso dar mais atenção ao pet. Levá-lo para passear e praticar exercícios pelo menos uma vez ao dia, acostumá-lo à rotina e horários do dono, enriquecer o ambiente com brinquedos e petiscos.

Muitos pets são criados dentro de apartamento, nesse caso é necessário fazer com que ele se sinta mais animal do que humano, deixando-o roer ossos, cavando buracos na terra e sentindo cheiros e outras sensações que vão além do ambiente interno.

Fique atento com as raças que merecem mais atenção

Sim, isso mesmo! Existem algumas raças de cães que estão mais suscetíveis à depressão por terem um grau de dependência humana maior. Ou seja, requerem atenção dobrada. Por isso, se você quer ter um animalzinho de estimação, mas fica fora de casa por muitas horas, a dica é evitar essas raças a fim de não ter problemas com doenças como a depressão, fazendo com que o animalzinho sofra menos.

Veja também:

Beirute: A mãe em trabalho de parto durante a explosão
Alto Astral
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade