PUBLICIDADE

8 alimentos e hábitos que devem ser evitados por quem tem pedras nos rins

Veja como uma rotina saudável é importante para prevenir o agravamento da doença

17 mai 2024 - 15h03
(atualizado às 16h54)
Compartilhar
Exibir comentários

A formação de pedras nos rins, também conhecidas como cálculos renais, é um problema de saúde comum que pode causar dor intensa e desconforto significativo. Elas se formam quando há o acúmulo de certos minerais e sais na urina, levando à cristalização e formação delas.

Pedras nos rins são formações sólidas de minerais e sais que causam dor intensa e desconforto
Pedras nos rins são formações sólidas de minerais e sais que causam dor intensa e desconforto
Foto: Perfect Angle Images | Shutterstock / Portal EdiCase

"O paciente pode necessitar de diversas intervenções cirúrgicas e internações, reduzindo sua qualidade de vida, levando ao absenteísmo no trabalho e até a quadros de dor crônica, quando os cálculos não são devidamente tratados/investigados", afirma a nefrologista Dra. Caroline Reigada, especialista em Medicina Intensiva pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira.

Embora fatores genéticos possam desempenhar um papel importante, os hábitos alimentares e de estilo de vida são essenciais para prevenção e gestão dessa condição. Assim, confira 8 alimentos e hábitos que devem ser evitados por quem tem pedras nos rins!

1. Carnes vermelhas

As carnes vermelhas são ricas em proteínas, mas se consumidas em excesso são capazes de aumentar os níveis de ácido úrico no corpo e, assim, gerar pedras nos rins. "[…] Escolha carnes brancas, como peixe e aves sem pele, e cortes magros de carne vermelha. Coma peixes marinhos pelo menos uma vez por semana. Fuja das gorduras aparentes, como picanha e bacon", aconselha a nutricionista Ilana Gonzales.

2. Espinafre e outros vegetais ricos em oxalato

Vegetais como espinafre, beterraba e acelga devem ser consumidos com parcimônia. "Esses alimentos são ricos em oxalato, substância que favorece a formação de cálculos quando em excesso. Pessoas que possuem predisposição a absorver mais oxalato no intestino (portadores de doença de Crohn, doença celíaca, pancreatite crônica, síndrome do intestino curto) devem seguir mais essa orientação", diz a Dra. Caroline Reigada. Modere o consumo desses alimentos e prefira vegetais com menor teor da substância, como brócolis e couve.

3. Refrigerantes

Bebidas gaseificadas, especialmente as que contêm fosfatos, contribuem para a formação de pedras nos rins. Além disso, o alto teor de açúcar nos refrigerantes pode levar a outros problemas de saúde, como diabetes, que também é um fator de risco para pedras nos rins.

4. Chocolate

O chocolate é uma fonte conhecida de oxalato. Se você tem propensão a pedras nos rins, prefira limitar a ingestão e optar por alternativas com baixo teor da substância.

5. Baixa ingestão de água

Manter-se hidratado é crucial para evitar a formação de pedras nos rins. A urina concentrada pode levar à formação de cristais que se transformam em pedras. Por isso, beba pelo menos dois litros de água por dia ou mais, se você for ativo ou viver em climas quentes.

Exercício físico regular ajuda a prevenir a formação de pedras nos rins
Exercício físico regular ajuda a prevenir a formação de pedras nos rins
Foto: Drazen Zigic | Shutterstock / Portal EdiCase

6. Sedentarismo

A falta de atividade física pode levar a várias condições de saúde, incluindo à formação de pedras nos rins. Nesse contexto, o exercício regular ajuda a manter o corpo funcionando de forma otimizada e ajuda a prevenir o acúmulo de minerais que formam os cálculos.

"O sedentarismo pode favorecer o aumento da gordura corporal e de marcadores inflamatórios. Isso cronicamente pode levar a doenças cardiovasculares, resistência insulínica e problemas musculoesqueléticos", acrescenta a Dra. Ariane Cantarella Bonadio, endocrinologista do Hospital Evangélico de Sorocaba (HES).

7. Consumo excessivo de bebidas alcoólicas

O álcool desidrata o corpo, concentrando a urina e aumentando o risco de formação de pedras nos rins. Além disso, bebidas alcoólicas são capazes de alterar o equilíbrio ácido-base do corpo, contribuindo para a formação de cristais. "O álcool leva toxinas e componentes agressivos para os rins e fígado, pode causar hipertensão e evoluir para um problema renal", completa o Dr. Bruno Zawadzki, diretor médico da DaVita (rede de tratamento renal).

8. Falta de controle do peso

A obesidade está associada a um maior risco de formação de pedras nos rins. Manter um peso saudável por meio de uma dieta equilibrada e exercício regular reduz esse risco. "A dieta é fundamental na prevenção dos cálculos, pois a composição da urina está diretamente relacionada com a alimentação", afirma a Dra. Caroline Reigada.

Portal EdiCase
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade