0

Dia Internacional do Gato: veja dicas de como cuidar dos pets

Bons companheiros, animais também demandam atenção e responsabilidade; 'pais de primeira viagem' devem ficar atentos às necessidades dos gatos

8 ago 2020
10h10
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Celebrado em 8 de agosto, o Dia Internacional do Gato homenageia um dos mais amados animais de estimação que conhecemos: os gatos. Criada pelo Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal, a data busca conscientizar as pessoas sobre formas de cuidar, proteger e ajudar os felinos, que, como qualquer outro pet, demandam responsabilidade do tutor e possuem necessidades específicas.

No contexto da pandemia do novo coronavírus, animais de estimação como gatos ou cachorros são excelentes companhias para a quarentena, mas é importante que os "pais de primeira viagem" também saibam como cuidar dos gatos e de outros pets, até para evitar a possibilidade de arrependimento ou abandono no futuro.

"É preciso pensar no animal depois que a quarentena passar, pois o abandono é uma grande preocupação. Quando tudo voltar ao normal, o gato continuará na família e, por isso, é essencial que a pessoa analise se continuará com condições de manter e cuidar do bichinho", alerta o médico veterinário Marcio Barboza, gerente técnico pet da MSD Saúde Animal. Pensando nisso, o Estadão reuniu algumas dicas para ajudar nos cuidados com gatos, confira abaixo!

Saúde do gato

Marcio Barboza destaca que os gatos, assim como outros animais, devem fazer visitas regulares a clínicas veterinárias. Nelas é possível avaliar a saúde dos pets e o tutor pode receber orientações sobre doenças e cuidados específicos.

A visita também é importante para garantir que o gato não está com pulgas, que podem transmitir doenças tanto para o animal quanto para os seres humanos. Barboza aconselha que os tutores usem bons produtos para limpar a casa e eliminar qualquer pulga que possa ter chegado do ambiente externo. Eles devem ser de "fácil aplicação, longa eficácia e duração".

Brinquedos, transporte e segurança

As primeiras coisas que um tutor deve comprar após incluir um gato na família são uma coleira, uma placa de identificação e uma caixa para transporte do animal. As informações de identificação são especialmente importantes pois muitos gatos gostam de passear e explorar o ambiente onde vivem. Já a caixa deve ser resistente e confortável.

Além de pensar na segurança dos animais, também é preciso considerar o lazer deles. É recomendável que as brincadeiras com gatos gere neles uma sensação de que são caçadores, ou seja estão a procura de algo. Também existem diversos brinquedos para gatos e os tutores podem escolher entre os disponíveis, mas é necessário que os gatos tenham um espaço para arranhar e lixar as unhas.

Isso é bom não apenas para o gato se distrair, mas também para evitar que ele fique arranhando partes de móveis ou tecidos da casa. Assim, o veterinário recomenda que tutores invistam em um arranhador, disponível em vários tamanhos e preços em lojas de produtos para pets.

Higiene e alimentação

Os gatos são animais que prezam pela limpeza, e geralmente já fazem parte do trabalho de higiene sozinhos, usando as próprias línguas. Isso não significa que gatos não devam tomar banho, pelo contrário, mas segundo Barboza permite que a frequência dos banhos não seja tão intensa.

O principal cuidado de higiene que os tutores de felinos devem ter envolve a famosa caixa de areia. O veterinário explica que, diferente dos cães, geralmente os gatos já sabem onde fazer suas necessidades. "Eles são super exigentes com o local onde fazem suas necessidades, por isso, é muito importante sempre mantê-los limpos", aconselha Barboza.

Assim, além da caixa e da areia, é necessário também ter uma pá específica para limpeza do ambiente. A troca da areia da caixa deve ser realizada uma vez por semana. É aconselhável que o local de alimentação do gato não fique próximo à área de dormir e da caixa de areia.

Ainda em relação à alimentação, o veterinário faz um alerta: não é recomendado alimentar gatos com leite. "Os felinos não devem ser alimentados com leite, já que, para alguns deles, isso pode causar diarreia", alerta ele. No geral, a alimentação deve ser feita com rações específicas, e é sempre importante deixar água fresca à disposição dos gatos.

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais

Veja também:

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade