PUBLICIDADE

Impacto de medicamentos no meio ambiente vai além do descarte inadequado; entenda

Em entrevista ao Terra, pesquisador alerta para grande vilão na contaminação ambiental por fármacos

18 set 2023 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
O descarte inadequado de medicamentos é uma preocupação, mas não seria o maior dos problemas
O descarte inadequado de medicamentos é uma preocupação, mas não seria o maior dos problemas
Foto: RUBEN BONILLA GONZALO/GettyImages

Muito se fala sobre o descarte adequado de medicamentos como a melhor forma de se combater a poluição gerada pelos fármacos no meio ambiente. O caminho, porém, é muito mais extenso e ainda não é totalmente claro, segundo Vital Ribeiro, pesquisador e responsável pelo programa Gerenciamento de Resíduos em Serviços de Saúde do Centro de Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo.

Em entrevista ao Terra, Ribeiro, que estuda o tema há 35 anos, alerta que o grande vilão para a natureza seria o uso indiscriminado dos medicamentos, não apenas o seu descarte incorreto. 

"É fato que existe contaminação ambiental por fármacos. Só que essa contaminação vem do medicamento que você toma, porque o medicamento, por definição, entra no seu corpo, faz uma função e sai rapidamente. Porque se ele não tiver essa característica, ele te intoxica. Então, se você tomasse o medicamento e ele ficasse no seu corpo, depois de duas, três doses, você começaria a ficar intoxicado. Você precisa metabolizar o medicamento e eliminar", explica.

Além do uso humano, Ribeiro frisa que um fator de preocupação é o uso de medicamentos na agropecuária, já que existem antibióticos usados para estimular o crescimento de gado. O pesquisador acrescenta que estudos mostram que apenas 1% da poluição gerada por fármacos seria proveniente do descarte inadequado.

Vital Ribeiro estuda o tema há 35 anos
Vital Ribeiro estuda o tema há 35 anos
Foto: Reprodução

Um estudo analisado pelo Terra corrobora com a explicação. "Uma quantidade significativa dessas substâncias originais [dos medicamentos] e seus metabólitos são excretados na urina, fezes ou esterco animal, sendo frequentemente encontrados no esgoto doméstico", diz um artigo publicado por Daniele Maia Bila e Márcia Dezotti, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Mas o descarte deve ser uma preocupação?

Em sociedade, é dever de cada um fazer o que está a seu alcance para mitigar os impactos ao meio ambiente. O descarte correto dos medicamentos deve ser, sim, um hábito. Ribeiro defende, porém, que, mais que isso, o consumo desenfreado dos remédios deve ser desestimulado.

"A coisa mais importante que a população precisa saber a respeito de medicamento diz respeito a automedicação, intoxicação doméstica e uso indevido. Esses são os temas de saúde pública dominantes no debate mundial sobre medicamento em casa", afirma.

Segundo ele, vem dessas preocupações que as entidades públicas criam campanhas para incentivar o descarte adequado dos medicamentos e diminuir a quantidade de remédios disponíveis em casa.

Sobre como descartar o medicamento, Ribeiro dá algumas dicas simples:

  • ° Procure um ponto de recolhimento de medicamentos disponível em sua cidade - normalmente estão localizados em farmácias ou postos de saúde;
  • ° Caso só consiga descartá-lo no lixo comum, opte por não deixar o medicamento exposto e não o coloque na parte de recicláveis;
  • ° Em nenhuma hipótese, descarte o medicamento em privadas ou pias, pois eles irão diretamente para a rede de esgoto.

O que é a Grande Mancha de Lixo do Pacífico? O que é a Grande Mancha de Lixo do Pacífico?

* Acompanhe mais notícias sobre o meio ambiente no Terra Planeta.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade