PUBLICIDADE

Poucas alegrias para os brasileiros no GP da França de F1

Ao longo de 61 edições, o Brasil só teve dois ganhadores do GP da França de F1: Nelson Piquet e Felipe Massa. Vamos recordar.

18 jul 2022 - 15h43
(atualizado às 16h22)
Ver comentários
Publicidade
Felipe Massa rumo à vitória no GP da França de 2008.
Felipe Massa rumo à vitória no GP da França de 2008.
Foto: Motorsport in 2000s / Twitter

Desde o fim de 2017, o Brasil não conta com um piloto titular pela temporada completa na F1. Mas mesmo nos tempos de glória, o GP da França não foi um bom lugar para os pilotos nacionais. Mesmo com todos os títulos do país na categoria, somente dois brasileiros venceram na história do GP francês, o 5º mais disputado na história da F1, justamente nos circuitos que mais sediaram a prova:  Paul Ricard e Magny Cours.

Mas o primeiro brasileiro a disputar um GP na França foi Fritz D´Orey, com uma Maserati, em 1959. Largando em 18º, D’Orey chegou em 10º lugar, 10 voltas atrás do vencedor da prova, Tony Brooks. Posteriormente, Emerson Fittipaldi passou a ser um participante constante e teve como melhor resultado um 2º lugar na edição de 1972, em Clermond-Ferrand. José Carlos Pace obteve um 4ºlugar em 1976, com a Brabham/Alfa.

A primeira vitória veio com Nelson Piquet em 1985. Após uma controversa decisão no GP de 1981, onde chegou em 3º lugar em uma combinação de tempos por conta de uma interrupção da prova por motivo de chuva, e um 2º lugar em 1983, o brasileiro obteve uma vitória até certo ponto improvável.

Em um ano atribulado, Nelson Piquet obteve sua única vitória em 1985 no GP francês
Em um ano atribulado, Nelson Piquet obteve sua única vitória em 1985 no GP francês
Foto: Legendary F1 / Twitter

Naquele ano, a Brabham fez uma aposta nas liras da Pirelli e foi a principal equipe dos italianos. A despeito de um grande trabalho de desenvolvimento feito na pré-temporada, os pneus foram feitos para altas temperaturas e o BT54 tinha um problema sério de tração. Gordon Murray, o diretor técnico da Brabham, mexeu no carro para que tentasse alguma reação na segunda parte do campeonato.

No calor europeu, os Pirelli funcionaram à perfeição e Piquet se classificou em 5º lugar. Na largada, já pulou para a 3ª posição, logo atrás de Senna e Rosberg. E quase ao mesmo tempo, o brasileiro assumiu a liderança, se aproveitando do abandono da Lotus e da inconstância da Williams.  Foi a única vitória de Piquet naquele ano e a última da história da Brabham na F1.

Falando em Senna, o máximo que conseguiu em território francês foi um 2º lugar em 1988, além de dois 3º lugares em 1990 e 1991. Piquet ainda teria um 2º lugar (1987) e um 3º lugar (1986). Gugelmin teria como ponto alto a volta mais rápida da edição de 1989, onde deu uma grande decolagem na largada, mas não pontuou.

Rubens Barrichello tem boas e más lembranças do GP da França. Más? A famosa falha eletrônica na largada da edição de 2002, onde o carro ficou suspenso no cavalete e não largou. Outra é o abalroamento que sofreu de Jean Alesi na edição de 1994, quando tinha tudo para pontuar com sua Jordan/Hart. Mas brilhou com a Stewart em 1999, onde foi pole e teve forte chance de ganhar, porém terminando em 3º, resultado repetido mais duas vezes (2001 e 2004).

A outra vitória brasileira veio em 2008, com Felipe Massa. Na última edição do GP francês em Magny-Cours, o brasileiro largou em 2º e se aproveitou de um problema de escapamento de Kimi Raikkonen, seu companheiro de equipe e que fez a pole, para assumir a liderança. Com esta vitória, a 3ª do ano, Massa assumiu a liderança do campeonato, abrindo dois pontos para Robert Kubica e cinco de Raikkonen.

Parabólica
Publicidade
Publicidade