PUBLICIDADE

Hamilton quer Russell como o próximo inglês campeão de F1

Lewis Hamilton fala sobre George Russell, seu próximo parceiro na Mercedes, e o que espera da relação com o conterrâneo

1 dez 2021 18h32
ver comentários
Publicidade
Russell e Hamilton se cumprimentam. Eles serão colegas na Mercedes em 2022
Russell e Hamilton se cumprimentam. Eles serão colegas na Mercedes em 2022
Foto: F1 / Divulgação

A Mercedes já definiu sua dupla para 2022 há algum tempo. Lewis Hamilton seguirá como o piloto principal, enquanto George Russell virá da Williams para ocupar o lugar de Valtteri Bottas, que, por sua vez, está de malas prontas para a Alfa Romeo, onde substituirá o aposentado Kimi Raikkonen. 

Russell, que é tido como um dos mais promissores pilotos da nova geração, terá um trunfo raro de se encontrar na Fórmula 1: um companheiro de equipe heptacampeão do mundo – talvez octa até lá – disposto a ajuda-lo e que quer vê-lo campeão no futuro. 

Hamilton deu entrevista à Autosport às vésperas do GP da Arábia Saudita, e falou abertamente sobre estar chegando ao fim de sua carreira e o fato de querer Russell como seu sucessor: “Eu realmente quero que ele tenha sucesso. Vai chegar um momento em que eu não vou mais continuar nesse esporte. Ele vai ser meu companheiro de equipe e é o próximo britânico que eu quero ver campeão do mundo.” 

O veterano não pretende facilitar a vida de Russell enquanto estiverem competindo, mas espera poder ser uma referência para seu novo colega de garagem: “Enquanto estivermos competindo eu vou querer vencer, mas espero que eu possa ser uma influência positiva em como ele se comporta perante o time. Seja no tempo que se dedica à engenharia, ou como ele interpreta os dados, ou mesmo só como ele pilota na pista.” 

Hamilton elogiou o comportamento de Russell e antecipou o que espera encontrar quando eles trabalharem juntos: “Ele é um jovem super talentoso e acho que há um enorme respeito desde já. Há um equilíbrio legal”, disse, se referindo à diferença de idade (13 anos) e de momento de carreira de ambos. 

“Ele vai querer ser rápido, vai querer aparecer e vencer, e todas essas coisas que você faz quando assume um novo papel”. Nada muito diferente do que ele próprio fez quando chegou à F1 e teve como companheiro ninguém menos que Fernando Alonso, então recém-coroado bicampeão do mundo: “Lembro quando eu estava contra o Alonso. Claro que eu queria vencê-lo desde a primeira corrida. Eu aprecio isso e espero que o George tenha essa mentalidade, caso contrário ele não será um vencedor. Eu imagino que ele vá ter essa mentalidade.” 

Parabólica
Publicidade
Publicidade