2 eventos ao vivo

"Voltswagen", a brincadeira tola da Volkswagen dos EUA

Volkswagen faz a imprensa mundial de tola ao inventar uma notícia de que estaria mudando seu nome para "Voltswagen" nos Estados Unidos

30 mar 2021
12h52
atualizado em 31/3/2021 às 20h39
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Volkswagen da América enganou milhares de veículos de comunicação nesta terça-feira (30), ao divulgar em seu site oficial de imprensa uma notícia falsa, uma "fake news". Segundo o comunicado, a empresa havia mudado de nome nos Estados Unidos, trocando a letra K de seu nome pela letra T e passando a se chamar "Voltswagen". Segundo o site oficial da empresa alemã, tratava-se de uma estratégia para marcar um firme posicionamento de investimento no mercado de veículos elétricos.

Depois de um dia inteiro em que milhares de editores e milhões de leitores foram enganados, a verdade surgiu à tona. O diário americano The Wall Street Journal publicou uma notícia no qual uma fonte da Volkswagen na Alemanha dizia se tratar de uma "brincadeira antecipada de 1º de Abril". Assim, o departamento de marketing da empresa conseguiu dominar as manchetes da mídia especializada em carros e economia durante um dia inteiro. Até mesmo um logotipo com a marca "Voltswagen" foi divulgado.

Milhares de jornalistas, inclusive nós, do Guia do Carro, caíram na "brincadeira" da Volkswagen. Pedimos desculpas aos nossos leitores. Agora que tudo está revelado, parece que a imprensa mundial foi ingênua. Mas, como ainda estamos a dois dias do 1º de Abril e a indústria automobilística vive uma fase disruptiva sem precedentes, tudo levava a crer que a notícia era real.

O jornalista Marcos Rozen, um dos maiores especialistas na mídia do setor, criador do MIAU (Museu da Imprensa Automotiva), escreveu no Instagram sobre a diferença desta para outras brincadeiras de 1º de Abril: "Nestas oportunidades a própria montadora produz um release onde fica claro que aquilo é uma piada, com exageros absurdos, o que não foi o caso, vez que o release da VW trazia argumentos relativamente sólidos e até aspas do presidente e, além disso, fontes da VW USA confirmaram o fato para publicações locais".

A notícia, aliás, veio na sequência de uma série de comunicados da Volkswagen sobre seu investimento no mercado de veículos totalmente elétricos. Recentemente, o fabricante alemão informou que colocará mais de 6 milhões de carros numa nuvem de dados própria e também que vai abrir seis gigafábricas de baterias para equipar seus veículos. Com isso, a marca promete fazer carros elétricos mais baratos, pois haverá uma redução de até 50% no custo das baterias -- que, em alguns casos, representa 48% do custo de fabricação do veículo.

Para além disso, a marca Volkswagen passou recentemente pelo escândalo do Dieselgate, no qual dados de emissão foram manipulados para que os carros fossem aprovados nos testes. A verdade factual, portanto, deveria ser um norte para essa nova Volkswagen. Por isso, milhares de jornalistas acreditaram no que estavam lendo. "Vivemos um momento em que a imprensa está sendo questionada e a propagação de fake news é gritante, então em meu julgamento a VW não arriscaria seu nome para fazer toda a imprensa especializada mundial de tola, abalando sua reputação junto aos leitores", escreveu Marcos Rozen.

Por causa de tudo isso, a mudança de nome, de Volkswagen para "Voltswagen", não seria um absurdo. Muitos especialistas de marketing acharam a ideia genial. Em seu livro A Metamorfose do Mundo, o escritor alemão Ulrich Beck afirma que vivemos uma era que extrapola o que antes era conhecido como mudança. "Metamorfose não é mudança social, não é transformação, não é evolução, não é revoluação e não é crise. É uma maneira de mudar a natureza na existência humana". Trata-se de um momento da sociedade no qual uma tradicional empresa alemã pode abrir mão de sua própria língua e marca para se apresentar de uma forma completamente nova. É aceitável.

Do ponto de vista de exposição de mídia, a Volkswagen da América está de parabéns. Conseguiu ser notícia no mundo inteiro. Do ponto de vista da ética e da luta mundial contra as fake news, foi uma ideia lamentável. Abaixo reproduzimos a notícia exatamente como ela foi dada no Guia do Carro, com título, subtítulo, texto, imagens e legendas. Fica para a posteridade neste 1º de Abril antecipado em que a VW USA fez a imprensa mundial de tola.

Volkswagen muda de nome para Voltswagen nos EUA

Tradicional marca alemã muda seu nome para Voltswagen para ser reposicionada como fabricante de carros elétricos

Voltswagen: um novo nome para uma nova era de mobilidade elétrica e eletrônica.
Voltswagen: um novo nome para uma nova era de mobilidade elétrica e eletrônica.
Foto: Voltswagen / Divulgação

A Volkswagen anunciou nesta terça-feira (30) uma arrojada mudança de nome e posicionamento para o mercado de carros dos Estados Unidos. A Volkswagen da América passa a se chamar Voltswagen da América, trocando a letra K pela letra T. Trata-se de uma “declaração pública do futuro investimento da empresa em mobilidade eletrônica”. Segundo um comunicado divulgado pela empresa, Volts são as unidades derivadas de potencial elétrico entre dois pontos. O objetivo é mover todas as pessoas ponto a ponto com EVs.

Mais tarde, o diário americano The Wall Street Journal afirmou que uma fonte da Volkswagen AG, na Alemanha, disse se tratar de uma brincadeira antecipada de 1º de Abril.

“Podemos estar trocando nosso K por um T, mas o que não estamos mudando é o compromisso desta marca em fazer os melhores veículos da classe para motoristas e pessoas em todos os lugares”, disse Scott Keogh, presidente e CEO da Voltswagen da América. Ele acrescentou que a ideia de um “carro do povo” (significado de Volkswagen em alemão) é a própria estrutura da existência da empresa. “Essa mudança de nome significa um aceno ao nosso passado como o carro do povo e nossa firme convicção de que nosso futuro será o carro elétrico do povo”, disse Keogh.

O primeiro carro totalmente elétrico da Voltswagen será o ID.4, que começa a ser vendido nos EUA. O SUV de longo alcance totalmente elétrico, com emissão direta zero, será também o primeiro modelo da Volkswagen do Brasil, mas ainda sem data de lançamento divulgada. Globalmente, a Volkswagen pretende vender 2 milhão de veículos elétricos em todo o mundo até 2025. Serão mais mais de 70 modelos elétricos lançados em todas as marcas do Grupo VW até 2029.

Volkswagen ID.4: o inédito SUV totalmente elétrico da marca alemã nos EUA e no Brasil.
Volkswagen ID.4: o inédito SUV totalmente elétrico da marca alemã nos EUA e no Brasil.
Foto: VW / Divulgação

 

Veja também:

Novo Corolla Cross: chegou o SUV da Toyota
Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade