1 evento ao vivo

Teste: Fiat Argo Trekking é um aventureiro com motor 1.3

Disponível apenas com câmbio manual de cinco marchas, o Argo Trekking é bom para usar em ruas e estradas com muitas irregularidades no piso

24 set 2019
16h33
  • separator
  • 0
  • comentários

O Argo Trekking é uma versão aventureira do hatch fabricado em Minas Gerais, mas a Fiat prefere chamá-lo de CUV (Crossover Urban Vehicle). A verdade é que, como aventureiro ou como CUV, o Fiat Argo Treeking é boa opção para quem procura um carro compacto com suspensão elevada para enfrentar as irregulares ruas e estradas brasileiras. Disponível somente com motor Firefly 1.3 flex de 109 cavalos de potência e 128 Nm de torque, o Argo Trekking entrega uma interessante mistura de versatilidade, desempenho, economia e conforto dentro de sua categoria. E com um visual agradavelmente esportivo.

A Fiat o chama de Crossover Urban Vehicle (CUV), a gente o chama de aventureiro mesmo.
A Fiat o chama de Crossover Urban Vehicle (CUV), a gente o chama de aventureiro mesmo.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Claro que o Fiat Argo Trekking não é um carro cinco estrelas. Mas, por R$ 59.990, é uma opção que não existe, por exemplo, na linha VW Polo, para citarmos o maior concorrente do Argo. Essa versão só está disponível com câmbio manual de cinco marchas. Melhor assim, pois o câmbio GSR estragaria o carro. Dessa forma, o powertrain do Argo Trekking permite uma condução ágil e econômica na cidade e um rodar mais confortável, devido à suspensão elevada em 40 mm quando comparado com o Argo Drive 1.3. Sua distância para o solo é de bons 210 mm. Os pneus 205/60 R15 têm banda de rodagem para uso misto e são exclusivos da versão Trekking.

O Fiat Argo Trekking é um hatch compacto aventureiro 3 estrelas, segundo os critérios do Guia do Carro.
O Fiat Argo Trekking é um hatch compacto aventureiro 3 estrelas, segundo os critérios do Guia do Carro.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

É elogiável o trabalho que a engenharia da FCS fez na suspensão do Argo Trekking. A direção elétrica também ficou muito bem ajustada, de forma que o motorista não sente uma “manteiga” na mão, mas ela é bastante leve e precisa. Os engates de marchas também ficaram facilitados por um câmbio amigável e um pedal de embreagem leve. O curso do acelerador também ficou adequado para uma condução eficiente e ágil na cidade, sem necessidade de afundar o pé no pedal. Com todas essas características, ele fica até mais agradável de dirigir em pisos um pouco irregulares do que no asfalto liso.

Quanto ao estilo, esse é um forte da Fiat. Assim como outros carros, o Argo Trekking tem um design chamativo sem ser escandaloso. Os adereços de aventura estão aplicados na dose certa, tanto na carroceria quanto no interior. O teto, por exemplo, é bicolor. Ele também traz barras no teto, que tem as mesmas cores do aerofólio e dos retrovisores. Nas laterais e na traseira, a marca “Trekking” remete à terra. O visual exclusivo do Argo Trekking também permite que o dono e sinta um pouco diferente da multidão, já que os carros atualmente estão muito parecidos.

O Argo Trekking é um carro honesto no que se propõe.
O Argo Trekking é um carro honesto no que se propõe.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Tecnicamente, o Fiat Argo Trekking é uma compra segura. Como negócio, ele tende a se manter valorizado, pois este é um tipo de carro que vai crescer no mercado. Na cor vermelha com teto preto, como nas fotos, é preciso acrescentar R$ 800 (na cor branco com teto preto também). A metálica cinza com preto sai por R$ 2.000 e a perolizada prata com preto custa R$ 2.300. Só o carro totalmente preto não tem custo extra. Quanto aos opcionais, são apenas dois: rodas de liga leve (R$ 1.650) e câmera de ré (R$ 800). O Fiat Argo Trekking é um concorrente de peso para o Hyundai HB20X e para o Chevrolet Onix Activ.

O que é novo

  • Volante com logotipo Fiat escurecido.
  • Adesivo preto no capô, faróis com design em LED, nova moldura da caixa de rodas e do para-choque traseiro na parte inferior, além do logotipo Fiat em cromo escurecido na traseira.
  • Ponteira de escapamento trapezoidal com cor exclusiva e calotas escurecidas para as rodas de aço aro 15.

O que nós gostamos

  • Elevação e ajuste da suspensão.
  • Pneus de uso misto.
  • Design externo e interno.
  • Posição de dirigir e instrumentos.
  • Central multimídia amigável, com Android Auto, Apple CarPlay e navegador por GPS, além de botões redundantes no painel e atrás do volante.
Multimídia com Android Auto e Apple CarPlay.
Multimídia com Android Auto e Apple CarPlay.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

O que pode melhorar

  • A lista de itens de série é pobre.
  • A parte superior do encosto dos bancos da frente fica muito distante do alto das costas do motorista e do passageiro.
  • Essa versão merecia rodas de liga leve de série.
  • Uma cor laranja, verde ou azul também cairia bem para o Argo Trekking.
  • Por que a Fiat nunca mais colocou bússola e inclinômetro em seus carros aventureiros?

Os números

  • Preço: R$ 59.990
  • Motor: 1.3 flex
  • Potência máxima: 109 cv a 6.250 rpm (e)
  • Torque máximo: 128 Nm a 3.500 rpm (e)
  • Câmbio: 5 marchas MT
  • Comprimento: 3,998 m
  • Largura: 1,724 m
  • Altura: 1,568 m
  • Entre-eixos: 2,521 m
  • Vão livre do solo: 187 mm
  • Peso: 1.130 kg
  • Pneus: 205/60 R15
  • Porta-malas: 300 litros
  • Tanque: 48 litros
  • 0-100 km/h: 10s8
  • Velocidade máxima: 173 km/h
  • Consumo cidade: 12,1 km/l (g)
  • Consumo estrada: 13,5 km/l (g)
  • Emissão de CO2: 98 g/km
  • Modelo avaliado: 2019
As suspensões foram elevadas em 40 milímetros.
As suspensões foram elevadas em 40 milímetros.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

 

Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade