1 evento ao vivo

Teste: Chevrolet Cruze Premier atende à supermodernidade

Equipado com Wi-Fi a bordo para sete conexões simultâneas, o sedã expande o significado do automóvel e põe a GM além do motor turbo

29 out 2019
10h16
atualizado às 11h11
  • separator
  • 0
  • comentários

O Chevrolet Cruze Premier estreou em agosto e significa uma resposta robusta da GM ao fenômeno que o antropólogo francês Marc Augé chamou de supermodernidade. Uma sociedade na qual a busca pela aceleração do tempo é incessante. Uma era em que tudo precisa ser mais rápido e que passa a sensação de encolhimento do planeta. Na supermodernidade descrita por Augé, os locais de passagem são descritos como não-lugares. Exemplos de não-lugares são os aeroportos, os terminais rodoviários e até as vias expressas, que existem para acelerar o tempo percorrido de um ponto ao outro.

O Cruze Premier inaugurou o visual mais agressivo do sedã fabricado na Argentina.
O Cruze Premier inaugurou o visual mais agressivo do sedã fabricado na Argentina.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Com o Cruze Premier, a GM saiu na frente ao oferecer, no segmento de carros médios, um veículo totalmente conectado. A tecnologia disponível no Cruze Premier é automática de alta velocidade e permite até sete dispositivos conectados simultaneamente. Ou seja: o Cruze expande o significado do automóvel, na medida em que pode estar numa praia ou numa casa de campo, por exemplo, e servir como roteador Wi-Fi para pelo menos sete pessoas que desejam ficar conectadas com o mundo. Além de não precisar usar o plano de dados de smartphone para acessar a internet, o motorista ou passageiro do Cruze Premier tem à disposição uma intensidade de sinal até 12 vezes maior em deslocamentos.

O porta-malas é um dos pontos fracos, pois tem 440 litros (pouco para a categoria).
O porta-malas é um dos pontos fracos, pois tem 440 litros (pouco para a categoria).
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Para quem viu a GM quebrada e completamente perdida há apenas dez anos, a reviravolta da empresa é espetacular. A atenção à conectividade, aliás, é uma das responsáveis pela robusta liderança da marca Chevrolet no mercado brasileiro. Além da internet a bordo -- que faz parte da arquitetura eletrônica do carro --, o Cruze Premier é um sedã com qualidades admiráveis, capaz de competir em igualdade com os japoneses Toyota Corolla e Honda Civic, além do alemão Volkswagen Jetta, na maioria dos atributos. Mas deixemos um comparativo detalhado para outra ocasião.

O Cruze Premier utiliza o mesmo conjunto motor-câmbio das outras versões. O motor é 1.4 turbo flex com 153 cv de potência e 240 Nm de torque. Já não tão competitivo quanto o de outros sedãs médios topo de linha, mas dá conta do recado. Sua relação peso/potência é boa, de 8,6 kg/cv. Porém, a potência máxima surge muito tarde, a 5.600 rpm, quando o motor já está gritando, próximo de seu corte de rotação. Em compensação, a totalidade do torque está disponível já a 2.000 rpm. Na prática, o carro é ágil na cidade, mas na estrada tem um desempenho mais moderado. 

O painel é primoroso, com acabamento na cor marrom cappuccino.
O painel é primoroso, com acabamento na cor marrom cappuccino.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Sentimos falta, claro, da borboleta no volante para antecipar algumas marchas. É verdade que as trocas sequenciais podem ser feitas na alavanca, movendo-as para frente (aumenta) ou para trás (reduz), o que já é bem melhor do que o botãozinho lateral disponível em outros carros da GM. Porém, não é a mesma coisa. Especialmente porque, ao passar os dedos por trás do volante, o motorista sente que existem dois comandos, mas eles são de sintonia (à esquerda) e de volume (à direita) do sistema de áudio. Que, aliás, é muito bom. O que dá a deixa para elogiarmos a nova geração da central multimídia MyLink, que tem tela tátil de 8” e é compatível com as plataformas Android e Apple. Ela é simplesmente espetacular e muito mais intuitiva do que as telas presentes nos rivais Corolla, Civic e Jetta.

CHEVROLET CRUZE PREMIER 1.4 TURBO
Item Conceito

Nota

(0 a 5)

Desempenho bom 3
Consumo muito bom 4
Segurança ótimo 5
Conectividade ótimo 5
Conforto ótimo 5
Pacote de Série muito bom 4
Usabilidade bom 3
Veredicto muito bom 4.1

E aí chegamos no ponto chave do Chevrolet Cruze Premier. Trata-se de um carro muito mais direcionado ao conforto e à conectividade do que ao desempenho e ao comportamento dinâmico. Afinal, se ele tem um acabamento primoroso, na cor marrom cappuccino, espaço interno agradável e bancos de couro com ajuste elétrico para o motorista, além da citada conectividade (que inclui ainda o sistema de concierge On Star), a suspensão traseira por eixo de torção mostra a visão excessivamente americana da GM nessa questão. Um carro desse porte deveria trazer suspensão independente, pois ela é mais eficiente em curvas, que é uma característica das estradas brasileiras. Quanto aos freios, aí sim, a GM caprichou, com discos nas quatro rodas (ventilados na frente) e frenagem de emergência. 

Outros itens de conforto, sofisticação, segurança e conveniência, como piloto automático, monitoramento de pressão dos pneus, luzes diurnas/lanternas de LED, carregamento de celular por indução, farol alto adaptativo, detalhes cromados, rodas com acabamento exclusivo, ar-condicionado automático digital e sistema de estacionamento automático também estão presentes na versão Premier. Além das duas entradas USB, há uma tomada de força de 12V no console central e outra para o banco de trás, para que ninguém se sinta num não-lugar quando estiver a bordo de um Cruze Premier.

A distância entre-eixos do Chevrolet Cruze é de 2,700 metros.
A distância entre-eixos do Chevrolet Cruze é de 2,700 metros.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

O que é novo

  • Wi-Fi a bordo para sete dispositivos.
  • Nova geração da central MyLink, com aprimoramento da parte gráfica.
  • Acabamento interno.
  • Novo design no para-choque, grade e luzes auxiliares.
  • Maior destaque para a gravata Chevrolet, em moldura cromada, dividindo as duas entradas de ar.
  • Rodas aro 17 com acabamento diamantado.

O que nós gostamos

  • Conectividade superior e de fácil utilização.
  • Posição de dirigir.
  • Conforto dos bancos e da suspensão.
  • Visibilidade dos instrumentos.
  • Design e proposta do carro.
  • Torque em baixa rotação.T
  • Testado com quatro airbags, ele tinha quatro estrelas no Latin NCAP, mas a GM fez um novo teste com seis airbags e conquistou  cinco estrelas para o Cruze.

O que pode melhorar

  • Suspensão traseira deveria ser independente.
  • Faltam aletas para trocas de marcha sequenciais.
  • Potência máxima e curva de potência.
  • O porta-malas é um dos menores da categoria.

Os números

  • Preço: R$ 122.890
  • Motor: 1.4 turbo flex
  • Potência: 153 cv a 5.600 rpm (e)
  • Torque: 240 Nm a 2.000 rpm (e)
  • Câmbio: 6 marchas AT
  • Comprimento: 4,665 m
  • Largura: 1,807 m
  • Altura: 1,455 m
  • Entre-eixos: 2,700 m
  • Peso: 1.484 kg
  • Pneus: 215/50 R17
  • Porta-malas: 440 litros
  • Tanque: 52 litros
  • Velocidade máxima: 210 km/h
  • 0-100 km/h: 8s0
  • Consumo cidade: 11,1 km/l (g)
  • Consumo estrada: 14,2 km/l (g)
  • Emissão de CO2: 108 g/km

 

Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade