0

Mercedes correrá com carros pretos na F1 contra o racismo

Flechas de Prata da Mercedes-AMG voltam às corridas com propósito renovado: compromisso com maior diversidade e inclusão no automobilismo

29 jun 2020
11h17
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Mercedes W11 de Lewis Hamilton: base preta na temporada 2020.
Mercedes W11 de Lewis Hamilton: base preta na temporada 2020.
Foto: Mercedes-AMG / Divulgação

A equipe Mercedes-AMG Petronas terá a pintura preta como base de seus carros na temporada 2020 da Fórmula 1. Quando os bólidos voltarem a correr neste fim de semana, no GP da Áustria, farão isso “em um mundo que mudou profundamente desde a última vez que as equipes se reuniram em Melbourne, no início de março”, segundo uma nota divulgada hoje pela equipe alemã. 

Para além da resposta conjunta que a Fórmula 1 está dando à pandemia de Covid-19, a Mercedes-AMG acredita que é preciso fazer mais. “Nas últimas cinco semanas, o movimento Black Lives Matter (Vidas Pretas Importam) iluminou profundamente o quanto precisamos de novas medidas e ações na luta contra o racismo e todas as formas de discriminação”, afirma a nota. “Como equipe, usamos as últimas semanas para ouvir as perspectivas de nossos membros, para aprender e refletir sobre nossa equipe como ela é hoje e como queremos que ela seja no futuro.”

Lewis Hamilton: “Experimentei racismo em minha vida e vi minha família e amigos experimentando racismo".
Lewis Hamilton: “Experimentei racismo em minha vida e vi minha família e amigos experimentando racismo".
Foto: Mercedes-AMG / Divulgação

Trata-se de uma vitória do piloto Lewis Hamilton, seis vezes campeão mundial. Nas últimas semanas, Hamilton entrou fortemente no ativismo contra o racismo, participando de protestos de rua e até batendo boca com Bernie Ecclestone, ex-chefão da Fórmula 1, que tentou diminuir a importância do assunto dentro do automobilismo.

A Mercedes-AMG afirma ter orgulho de sua cultura e de seus valores, mas reconhece: “Em nossa organização, apenas 3% de nossa força de trabalho se identifica como pertencente a grupos étnicos minoritários e apenas 12% de nossos funcionários são mulheres. Essa falta de diversidade mostra que precisamos encontrar novas abordagens para atrair talentos de muitas áreas da sociedade que não alcançamos atualmente. Sabemos que nossa equipe será mais forte se conseguirmos atrair talentos da maior variedade possível e estamos comprometidos em alcançar isso por meio de ações positivas”.

Hamilton foi às ruas protestar contra o racismo e influenciou na decisão da Mercedes.
Hamilton foi às ruas protestar contra o racismo e influenciou na decisão da Mercedes.
Foto: Mercedes-AMG / Divulgação

Para 2020, a equipe competirá com uma base preta, “como promessa pública de melhorar a diversidade de nossa equipe”. Trata-se de uma declaração forte contra o racismo e todas as formas de discriminação. A frase para “End Racism” será exibida no halo dos carros de Lewis Hamilton (#44) e Valtteri Bottas (#77) e a hashtag #WeRaceAsOne, que representa a união da Fórmula 1, será apresentada nos espelhos dos Mercedes W11.

A Mercedes-AMG afirma ainda que antes do final desta temporada anunciará um programa de diversidade e inclusão que incluirá, mas não se limitará a: “Continuar a ouvir e aumentar a conscientização dos membros de nossa equipe; análise forense de nossos processos de recrutamento e desenvolvimento; colaboração com as principais partes interessadas do esporte para melhorar a acessibilidade ao nosso esporte; e iniciativas educacionais direcionadas para incentivar e apoiar pessoas talentosas de origens sub-representadas que desejam alcançar a F1”. A nota afirma que levará tempo para construir a estratégia certa, e que serão necessários anos de esforços e investimentos consistentes, mas que seu compromisso em fazer isso “é irreversível”.

Mercedes W11 número 77 de Bottas: Flecha de Prata na cor preta.
Mercedes W11 número 77 de Bottas: Flecha de Prata na cor preta.
Foto: Mercedes-AMG / Divulgação

Toto Wolff, diretor da equipe Mercedes-AMG Petronas F1, comentou: “Racismo e discriminação não têm lugar em nossa sociedade, esporte ou equipe: essa é uma crença central na Mercedes. Mas não basta ter as crenças e a mentalidade certas se permanecermos em silêncio. Desejamos usar nossa voz e nossa plataforma global para defender o respeito e a igualdade, e o Silver Arrow correrá de preto durante toda a temporada 2020 para mostrar nosso compromisso com uma maior diversidade dentro de nossa equipe e esporte”. Wolff -- um dos mais vitoriosos chefes de equipe da Fórmula 1 -- garante que “não vamos fugir de nossas fraquezas nesta área, nem do progresso que ainda devemos fazer”.

Lewis Hamilton anunciou recentemente a formação da Comissão Hamilton, uma parceria de pesquisa com a Royal Academy of Engineering, da Inglaterra, dedicada a explorar como o automobilismo pode ser usado para envolver mais jovens de origens negras com assuntos dessa natureza. Lewis e Valtteri vão correr de macacão preto na temporada 2020, com os dois pilotos também adaptando seus designs de capacete, mas as imagens do macacão e do capacete ainda não foram divulgadas.

Único piloto negro a vencer na Fórmula 1, Lewis Hamilton tem 84 vitórias e 88 poles.
Único piloto negro a vencer na Fórmula 1, Lewis Hamilton tem 84 vitórias e 88 poles.
Foto: Mercedes-AMG / Divulgação

Hamilton disse que “é importante aproveitar este momento e usá-lo para nos educarmos se você é um indivíduo, marca ou empresa para fazer mudanças realmente significativas quando se trata de garantir igualdade e inclusão”. O maior piloto da atualidade disse que de sua experiência pessoal: “Experimentei racismo em minha vida e vi minha família e amigos experimentando racismo, e estou falando de coração quando apelo à mudança. Quando falei com Toto sobre minhas esperanças em relação ao que poderíamos alcançar como equipe, eu disse que era importante que nos mantivéssemos unidos. Gostaria de agradecer imensamente ao Toto e ao board da Mercedes por dedicarem tempo para ouvir, conversar e realmente entender minhas experiências e paixões, e por fazer esta importante declaração de que estamos dispostos a mudar e melhorar o negócio”. 

Para o piloto inglês de 35 anos, que acumula seis títulos mundiais, 84 vitórias e 88 pole positions em 250 grandes prêmios, o objetivo desta iniciativa é “construir um legado que vá além do esporte”. Valtteri Bottas concluiu: “A Fórmula 1 é um mundo definido pelo desempenho, mas ainda contém muitas barreiras para pessoas que vêm de origens que tradicionalmente não fazem parte do esporte. Sabemos que nossas equipes são mais fortes quando são mais representativas da sociedade da qual fazemos parte, e é importante que estejamos unidos e demonstremos nosso compromisso com a mudança”. O Grande Prêmio da Áustria será disputado no dia 5 de julho, em Spielberg.

Mercedes fez os testes de Barcelona, no início do ano, com a tradicional pintura prata.
Mercedes fez os testes de Barcelona, no início do ano, com a tradicional pintura prata.
Foto: Mercedes-AMG / Divulgação

Veja também:

Honda Civic 1.5 turbo é um devorador de estrada
Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade