PUBLICIDADE

GM fabricará somente carros elétricos a partir de 2035

Anúncio da GM também inclui meta de se tornar neutra em emissões de carbono até 2040; decisão afetará operações no Brasil no futuro

1 fev 2021 05h00
ver comentários
Publicidade
Vendido em versão única por R$ 260.790, o Bolt é o único modelo elétrico da Chevrolet à venda no Brasil.
Vendido em versão única por R$ 260.790, o Bolt é o único modelo elétrico da Chevrolet à venda no Brasil.
Foto: GM / Divulgação

O carro a combustão está cada vez mais perto da aposentadoria. Na última sexta-feira (29), a General Motors anunciou que terá um portfólio composto somente por carros elétricos até 2035. Além disso, a GM também pretende se tornar neutro em carbono -- considerando produtos e operações globais -- até 2040.

O anúncio foi feito durante a assinatura do Business Ambition Pledge para 1,5⁰C , um acordo que envolve agências da ONU, empresas e indústrias para reduzir o aquecimento global. No caso da GM, o objetivo será acabar com a emissão de gases poluentes. Para isso, as marcas do grupo farão uma transição para um portfólio de somente modelos elétricos até 2035. A decisão inclui modelos de passeio e também veículos comerciais.

Com apresentação prevista para fevereiro, o Chevrolet Bolt EUV pode ser o segundo modelo elétrico da marca a chegar ao Brasil.
Com apresentação prevista para fevereiro, o Chevrolet Bolt EUV pode ser o segundo modelo elétrico da marca a chegar ao Brasil.
Foto: GM / Divulgação

De acordo com a GM, os veículos da marca são responsáveis por 75% das emissões de carbono relacionadas ao grupo. Buscando mudar esse quadro, as marcas do grupo oferecerão 30 modelos totalmente elétricos em todo o mundo até meados da década. Para os EUA, a meta é de que 40% dos modelos da empresa sejam veículos elétricos a bateria até o final de 2025.

O grupo também anunciou um investimento de US$ 27 bilhões -- mais da metade dos gastos de capital e da equipe de desenvolvimento de produtos da GM -- em veículos elétricos e autônomos nos próximos cinco anos. Isso inclui o desenvolvimento da tecnologia de baterias Ultium e a atualização de fábricas, que utilizarão somente energia de fontes renováveis até 2030 nos EUA e até 2035 no resto do mundo.

Anúncio do grupo inclui investimentos em tecnologias como o sistema de baterias Ultium.
Anúncio do grupo inclui investimentos em tecnologias como o sistema de baterias Ultium.
Foto: GM / Divulgação

Outra preocupação da GM é em relação à infraestrutura de recarga dos carros elétricos. Por mais que os modelos não emitam gases poluentes, a energia que é utilizada para “abastecê-los” pode ser proveniente de fontes não-renováveis. Para isso, o grupo afirmou que “tem trabalhado com concessionárias e desenvolvedores para apoiar investimentos em energia renovável encontrados dentro e ao redor das comunidades que têm instalações da GM por meio de contratos de compra de energia e tarifas verdes”.

Além disso, a empresa também está trabalhando com a EVgo para triplicar o tamanho da maior rede pública de carregamento rápido dos EUA, adicionando mais de 2.700 novos carregadores rápidos até o final de 2025, um movimento definido para ajudar a acelerar a adoção generalizada de veículos elétricos. Os carregadores serão alimentados por energia 100% renovável. 

Apresentado em janeiro, o EV600 é o primeiro carro da nova divisão de carros comerciais elétricos do grupo, a BrightDrop.
Apresentado em janeiro, o EV600 é o primeiro carro da nova divisão de carros comerciais elétricos do grupo, a BrightDrop.
Foto: GM / Divulgação

Se por um lado a eletrificação dos carros parece estar caminhando a passos largos nos EUA e na Europa, o Brasil ainda se mostra distante dessa realidade. Por aqui, a Chevrolet oferece somente o Bolt como opção elétrica. O modelo é vendido por R$ 260.790, em versão única. Após esse anúncio, no entanto, a tendência é que novos modelos elétricos da marca cheguem ao Brasil. A questão agora é saber como a Chevrolet fará para substituir modelos que vão desde o Onix até o Trailblazer.

Guia do Carro
Publicidade
Publicidade