1 evento ao vivo

Conheça a história do Honda City, que faz 10 anos no Brasil

Inaugurado no mercado global com carroceria hatchback em 1981, o modelo chegou ao Brasil em 2009 em sua terceira geração como sedã

22 nov 2019
10h30
atualizado às 13h00
  • separator
  • 0
  • comentários

O Honda City chegou ao Brasil em 2009, mas no mercado global o carro já tem quase 40 anos de história. Os dois primeiros modelos lançados na década de 80 tinham carroceria hatchback e conceito diferente do que é comercializado hoje. A primeira geração como sedã começou a ser vendida em 1996, cerca de 13 anos antes do modelo chegar por aqui.

Com 10 anos de produção no Brasil, o City já teve mais de 240 mil unidades emplacadas no país, sendo um modelo de grande importância para a marca japonesa no mercado latino. 

Honda City 1981.
Honda City 1981.
Foto: Divulgação

Hatchback

O primeiro Honda City foi lançado em 1981 com carroceria hatch, bom aproveitamento de espaço interno e motor 1.2 turbo nas versões mais esportivas. O carro começou a ser um sucesso e se propagou para diversos mercados. Em 1986, o modelo recebeu sua primeira atualização, com visual mais moderno e novos elementos de projeto.

Honda City 1986.
Honda City 1986.
Foto: Divulgação

1996 - Primeira geração sedã

Em 1996, na Tailândia, surgiu a primeira geração do Honda City com carroceria sedã. Com plataforma do Civic, o modelo passou a ser equipado com as motorizações 1.3 e 1.5, conquistando muitos consumidores no mercado asiático como Índia e Tailândia. 

Honda City 1996.
Honda City 1996.
Foto: Divulgação

2002 – Introdução da transmissão CVT

A segunda geração do Honda City sedã, lançada em 2002, representou uma grande avanço em relação ao modelo antecessor. Além de melhorar o espaço interno, a praticidade (modularidade de bancos) e o consumo de combustível, o sedã ganhou transmissão automática tipo CVT pela primeira vez, demarcando sua nova estratégia de mercado.

Honda City 2009.
Honda City 2009.
Foto: Divulgação

2009 – Chegada ao Brasil

No Brasil, o Honda City chegou apenas em sua terceira geração como sedã, no momento em que já ultrapassava a marca de 1.2 milhões de unidades comercializadas globalmente, em 45 países. Durante o lançamento no país, o modelo se destacou pelas dimensões avantajadas, posicionada acima de sedãs compactos e abaixo de sedãs médios.

Honda City 2002.
Honda City 2002.
Foto: Divulgação

2015 – Quarta geração chega ao Brasil

Os principais destaques da quarta geração do sedã, que chegou ao mercado brasileiro em 2015, foram as novas medidas da carroceria. Além das mudanças no visual e na lista de equipamentos, o City ficou maior tanto em comprimento quanto em largura. Em 2018, o sedã passou por uma reestilização, com leves mudanças no visual e adoção de novos equipamentos.

Honda City 2015.
Honda City 2015.
Foto: Divulgação

Atualmente, a linha 2020 do sedã é comercializada em cinco versões no Brasil, sendo uma com câmbio manual de cinco velocidades (DX) e quatro com transmissão CVT (Personal, LX, EX e EXL). O motor é o 1.5 flex de 116 cv de potência e 150 Nm de torque com etanol. O porta-malas possui 536 litros de capacidade e a distância entre-eixos é de 2,60 m.

A lista de equipamentos de série do Honda City 2020 inclui itens como ar-condicionado, sistema de áudio com Bluetooth e USB, vidros elétricos nas quatro portas com sistema de fechamento à distância e imobilizador, direção elétrica e coluna de direção com regulagens de altura e profundidade.

Honda City 2020.
Honda City 2020.
Foto: Divulgação

 

Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade