PUBLICIDADE

Avaliação: Toyota Corolla Cross, o primeiro anti-Compass

Novíssimo Toyota Corolla Cross estreia em cinco versões a partir de R$ 139.990; já dirigimos três delas na pista de testes

11 mar 2021 19h30
| atualizado em 5/10/2021 às 12h00
ver comentários
Publicidade
Toyota Corolla Cross: estreia com quatro versões e uma série especial.
Toyota Corolla Cross: estreia com quatro versões e uma série especial.
Foto: Toyota / Divulgação

O Toyota Corolla Cross -- um dos lançamentos mais esperados do ano  -- finalmente estreou oficialmente no Brasil. O carro é fabricado em Sorocaba (SP) e chega como primeiro inimigo direto do Jeep Compass, líder na categoria de SUV médio. O novíssimo Corolla Cross será vendido em quatro versões a partir do dia 25 de março. Uma quinta versão está sendo oferecida apenas no lançamento como série especial limitada em 1.200 unidades.

Já dirigimos três das cinco versões do Corolla Cross na pista de testes da fábrica. Embora essa primeira avaliação tenha sido realizada num ambiente bastante limitado, foi possível testar acelerações, frenagens e conforto do novo modelo japonês. Nosso primeiro veredicto é que o Corolla Cross com motor híbrido é mais interessante. 

Grade dianteira enorme e capô alto diferenciam bastante o Corolla Cross do Corolla sedã.
Grade dianteira enorme e capô alto diferenciam bastante o Corolla Cross do Corolla sedã.
Foto: Toyota / Divulgação

As duas versões de entrada utilizam motor 2.0 aspirado flex de 177 cv e câmbio CVT de 10 marchas. As duas versões topo de linha utilizam o sistema híbrido flex de 123 cavalos. O câmbio é transeixo e funciona de forma similar a um CVT. As versões e os preços oficiais anunciados na noite desta quinta-feira (11) são os seguintes:

  • XR 2.0 Flex - R$ 139.990
  • XRE 2.0 Flex - R$ 149.990
  • XRV Hybrid Flex - R$ 172.990
  • XRX Hybrid Flex - R$ 179.990
  • Special Edition Hybrid Flex - R$ 183.980

Na pista de Sorocaba tivemos acesso ao Corolla Cross XRE (o mais equipado com motor 2.0), ao XRV (entrada no híbrido) e ao XRX (topo de linha). Em relação ao XRX, o Corolla Cross Special Edition acrescenta Wireless Charger, soleira nas portas, estribo lateral e bandeja do porta-malas. Visualmente, o carro é bastante impactante. Embora não seja muito fotogênico, o Corolla Cross é um carro bonito quando visto pessoalmente. A enorme grade dianteira combina bem com o SUV e o diferencia totalmente do Corolla sedã.

Tanto o motor 2.0 Dynamic Force quanto o sistema híbrido de três motores são bastante conhecidos do público brasileiro, pois equipam o Corolla sedã. As duas versões híbridas, XRV e XRX, são muito parecidas. Por dentro, o Corolla Cross topo de linha (XRX) tem o quadro de instrumentos digital maior, ajuste elétrico dos bancos, ar-condicionado dual zone e o acabamento em creme, além de teto solar.

Corolla Cross 2.0 Flex (branco) terá 70% do mix de produção na fábrica de Sorocaba.
Corolla Cross 2.0 Flex (branco) terá 70% do mix de produção na fábrica de Sorocaba.
Foto: Toyota / Divulgação

O motor 1.8 flex tem 101 cavalos. Ao seu lado, também na frente, ficam os dois motores elétricos, um em cima do outro, somando 72 cv. A potência combinada é de 123 cv. O torque é muito bom, pois os motores elétricos respondem atuam nas acelerações. O Corolla Cross híbrido é totalmente silencioso quando a partida é dada. É preciso ficar atento ao sinal do painel que indica “Ready” (Pronto) para começar a acelerar. O rodar é bastante suave. A suspensão traseira é por eixo de torção, a mesma adotada pela Toyota na Tailândia.

Segundo a Toyota do Brasil, o carro já foi projetado com essa suspensão, por isso não valia a pena trabalhar em uma nova suspensão independente. O fabricante considera que a suspensão por eixo de torção torna a manutenção mais barata e dá mais robustez ao carro. Entretanto, seus dois principais concorrentes, Jeep Compass (líder da categoria) e Volkswagen Taos (ainda não lançado) utilizam suspensão traseira independente, multilink.

Não sabemos como será o comportamento do Toyota Corolla Cross em curvas, pois na pista de Sorocaba só há duas pequenas curvas (no final de uma grande reta) e a velocidade máxima permitida é de 35 km/h, pois elas estão ali apenas para mudar o sentido do tráfego. Quando pudermos avaliar o carro na cidade e na estrada teremos uma noção melhor. Nas frenagens em emergência, que realizamos na pista, o carro mostrou excessivo desvio de trajetória para a direita.

Interior na cor creme é um dos diferenciais do Corolla Cross Hybrid em relação ao 2.0 Flex.
Interior na cor creme é um dos diferenciais do Corolla Cross Hybrid em relação ao 2.0 Flex.
Foto: Toyota / Divulgação

A fábrica da Toyota também tem pistas para teste de conforto e duas rampas. Na pista irregular, o Corolla Cross se comportou bem. As suspensões foram bem ajustadas para o conforto ao rodar. As rampas estavam fechadas. O ângulo de ataque é de 21º, o de saída é de 36º e o de rampa é de 10°. O vão livre é de 16,1 cm. A proposta da Toyota não é disputar com o Compass na utilização off-road, mas sim no trânsito urbano e na estrada.

Em termos de consumo, o Corolla Cross híbrido já larga com vantagem, pois é bastante econômico. Ele faz 17,9 km/l de gasolina na cidade e 13,9 na estrada; com gasolina, faz 11,8 km/l na cidade e 9,6 na estrada. Ele briga diretamente com o Jeep Compass Limited 2.0 Flex (R$ 175.950). O Corolla Cross Hybrid custa menos R$ 2.960 na versão XRV e mais R$ 4.040 na XRX. O Corolla Cross Hybrid também pode competir em preço com o Compass a diesel mais barato (R$ 195.321). Porém, perde em desempenho.

Quanto ao Corolla Cross 2.0 flex de 177 cv e 210 Nm, seu desempenho é muito melhor. Afinal, tem 54 cavalos a mais do que a configuração híbrida. Entretanto, o SUV com motor convencional já não entrega o silêncio a bordo que é um dos pontos fortes do Corolla Cross Hybrid. Por ser um SUV, ele também não tem o mesmo comportamento dinâmico do sedã, embora isso só possa ser avaliado a fundo quando tivermos o carro para uma utilização diária.

Design robusto e tradicional do novíssimo Corolla Cross deve agradar o público da Toyota.
Design robusto e tradicional do novíssimo Corolla Cross deve agradar o público da Toyota.
Foto: Toyota / Divulgação

Uma das novidades do Corolla Cross é a nomenclatura das versões: XR, XRE, XRV e XRX no lugar das conhecidas GLi, XEI, Altis e Altis Premium. Já fizemos uma matéria mostrando as semelhanças e diferenças entre o SUV e o sedã em suas respectivas versões. Segundo a Toyota, a ideia foi descolar a nomenclatura do sedã para que o carro seja visto pelo público como algo novo e um segmento novo. O objetivo da marca japonesa é vender 3.500 unidades mensais do Corolla Cross, mas sem “canibalizar” o sedã. 

Em relação ao Corolla Cross fabricado na Tailândia, o modelo brasileiro tem motorização diferente e um porta-malas menor (440 litros). Isso porque no Brasil a Toyota precisou colocar um estepe no fundo do bagageiro (na Tailândia é um kit de reparo). Esses 440 litros estão na posição mais confortável do banco traseiro (que inclina). 

O carro impressiona pelo porte e conforto, mas o acabamento não é sofisticado. O freio de estacionamento, por exemplo, é acionado por um pedal que fica do lado esquerdo do cockpit. Um equipamento que parece tosco perto do freio de mão eletrônico do Jeep Compass e do Volkswagen Taos, que estreia em maio. Mas o caráter robusto do Corolla Cross deve agradar ao público brasileiro. Logo na frente, a grade trapezoidal dupla fornece uma aparência ampla e forte. A grade superior em colmeia remete ao estilo da Lexus (marca de luxo da Toyota). Nas versões híbridas, a moldura da grade é na cor prata e o acabamento do logotipo é na cor azul. A grade inferior em plástico preto remete ao off-road e conta com os faróis de neblina em led para todas as versões. 

Corolla Cross Hybrid é oferecido em duas versões topo de linhae na série de lançamento.
Corolla Cross Hybrid é oferecido em duas versões topo de linhae na série de lançamento.
Foto: Toyota / Divulgação

O para-choque possui grandes vincos. Na versão de entrada, os faróis são de halogêneo, enquanto nas demais versões são de led. Já as versões híbridas contam com acabamento na cor azul também nos faróis. Além disso, toda a linha traz luzes diurnas DRL (Daytime Running Lights). De lado, o Corolla Cross tem a linha de cintura quase horizontal. Na tampa traseira, o nome “Corolla” aparece bem pequeno e o “Cross” bem grande. O spoiler traseiro busca dar dinamismo ao estilo.

Todas as versões do Corolla Cross usam rodas de liga leve. Só a versão de entrada XR é de 17” com acabamento na cor prata e pneus 215/60 R17. As demais são de 18”. Nas versões XRE e XRV Hybrid o acabamento é na cor cinza escuro e diamantado; na XRX Hybrid o acabamento é na cor preta e diamantada. Nessas três versões, os pneus são 225/50 R18.

Desde a versão de entrada XR o SUV conta com ar-condicionado digital automático com saída traseira, direção elétrica, computador de bordo com tela TFT de 4,2”, retrovisores elétricos retráteis, com pisca-pisca integrado, rack de teto e multimídia Toyota Play 8”, com rádio AM/FM, função MP3, entrada USB, Bluetooth, conexão para smartphones e tablets com Android Auto e Apple CarPlay. 

Faróis de led são prolongados lateralmente até o contorno da grade dianteira.
Faróis de led são prolongados lateralmente até o contorno da grade dianteira.
Foto: Toyota / Divulgação

As versões XRE, XRV Hybrid e XRX Hybrid adicionam sistema de destravamento das portas por sensores na chave (Smart Entry), sistema de partida por botão e limpador do para-brisa com sensor de chuva. As versões XR 2.0 e XRE 2.0 possuem modo de seleção Sport. Somente a XRE tem câmbio borboleta. As versões híbridas XRV e XRX contam com modo de seleção de condução Power. Mas o sistema híbrido do Corolla Cross não permite que o motorista rode apenas com o motor elétrico, pois ele não é plug-in. É o carro que decide qual motor usar (ou quais). Pode ser apenas o motor a combustão, podem ser apenas os dois motores elétricos ou podem ser os três juntos.

A maior diferença para quem está acostumado com o Corolla sedã é a posição de dirigir mais elevada. Segundo a Toyota, o Corolla Cross oferece um campo de visão privilegiado, pois é 120 mm mais alto. A Toyota também mexeu na posição dos retrovisores externos e estreitou a coluna A em 7 mm para melhorar a visão de quem está a bordo. Mas o que realmente impressiona ao volante é a capacidade que o carro tem de manobrar. É possível girar em 180° em apenas 10,4 m. 

Porta-malas do Toyota Corolla Cross tem 440 litros de capacidade, menos do que na Tailândia.
Porta-malas do Toyota Corolla Cross tem 440 litros de capacidade, menos do que na Tailândia.
Foto: Toyota / Divulgação

Como era esperado, o Toyota Corolla Cross chega muito bem equipado em termos de segurança. Todas as versões contam com sete airbags (dois frontais, dois laterais, dois de cortina e um de joelho para o motorista), câmera de ré com projeção na tela multimídia, controle eletrônico de estabilidade, controle eletrônico de tração, assistente de partida em subida, sensor de estacionamento traseiro, faróis com acendimento automático e ajuste de altura elétrico, faróis de neblina dianteiros em led, luz de frenagem emergencial automática, alarme volumétrico e isofix para fixação de cadeirinhas no banco traseiro com ancoragem de três pontos.

As versões híbridas são mais caras, mas também trazem o pacote de segurança Toyota Safety Sense, com:

  • Sistema de Pré-Colisão Frontal;
  • Sistema de Assistência de Permanência de Faixa;
  • Alerta de Mudança de Faixa;
  • Faróis altos automáticos;
  • Piloto Automático Adaptativo.

O novíssimo Corolla Cross tem cinco anos de garantia. Além disso, como já ocorre com outros modelos híbridos Toyota à venda no Brasil, as versões híbridas do Corolla Cross também contarão com garantia estendida de oito anos para o sistema híbrido, que é composto por bateria híbrida, inversor/conversor, módulo de controle da bateria híbrida e módulo de controle de energia.

As cores disponíveis para o Corolla Cross são: Branco Polar (sólida), Preto Infinito, Prata Lua Nova, Cinza Granito, Vermelho Granada, Azul Netuno (metálicas) e Branco Lunar (perolizada).  O Toyota Corolla Cross tem 4,460 m de comprimento, 1,825 m de largura, 1,620 m de altura e 2,640 m de distância entre-eixos. O tanque de combustível tem 47 litros nas versões 2.0 e 36 litros nas versões híbridas.

A Toyota inicia a produção do Corolla Cross com o seguinte mix de versões: 5% para a XR, 65% para a XRE, 5% para a XRV e 25% para a XRX. Portanto, são 70% para o Corolla Cross a combustão e 30% para o Hybrid. Nos dois casos, a aposta da marca é nas versões mais caras e equipadas (XRE e XRX), que, juntas, farão 90% das vendas iniciais do SUV. O carro será exportado para 22 países da América Latina.

Retrovisor externo do Corolla Cross Hybrid, com o pisca-pisca integrado.
Retrovisor externo do Corolla Cross Hybrid, com o pisca-pisca integrado.
Foto: Toyota / Divulgação
Guia do Carro
Publicidade
Publicidade