PUBLICIDADE

Avaliação: Mini Cooper elétrico empolga, mas roda pouco

Passamos um dia com o novo Mini Cooper S E, o primeiro modelo 100% elétrico da atual geração do carro inglês, que tem alcance de 234 km

21 jul 2021 00h00
ver comentários
Publicidade
Mini Cooper S E Top Collection.
Mini Cooper S E Top Collection.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

A cultura popular costuma dizer que uma pessoa hiperativa é "ligada no 220” (volts). Pois bem: o novo Mini Cooper elétrico é esse carro, literalmente. Ele é “ligado no 220”, não apenas porque é muito ágil nas acelerações, mas também porque pode mesmo ter sua bateria de íons de lítio carregada em tomada caseira de 220 volts (1,8 kW).

Mas não vale a pena: leva cerca de 14 horas. Por isso, a Mini oferece, junto com o seu primeiro carro totalmente elétrico da atual geração, um WallBox de 11 kW que carrega o carro em apenas 2h10min. O equipamento é entregue sem custo para o comprador do  carro. Além disso, é possível carregar o Mini Cooper elétrico num dos 300 pontos da marca em estações de 50 kW. Leva cerca de 29 minutos.

Equipado com um motor elétrico de 184 cavalos de potência e 270 Nm de torque, o Mini Cooper S E tem uma aceleração acima do esperado. Com torque instantâneo, o carro tem acelerações capazes de jogar o corpo dos ocupantes para trás. Ele vai de 0 a 100 km/h em 7,3 segundos. Para chegar a 60 km/h, são 3,9 segundos.

Mini Cooper S E Top Collection.
Mini Cooper S E Top Collection.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

A Mini costuma banalizar a questão do “go kart feeling” (sensação de dirigir um kart) quando fala de seus carros. Alguns modelos maiores não têm essa sensação. O Mini Cooper elétrico tem. Produzido apenas na carroceria hatch de 3 portas, o carro é mesmo muito parecido com um kart: tem pouco comprimento, balanços dianteiro muito curtos, direção bem direta e aceleração empolgante.

Com exceção da altura, que é 18 mm maior no Mini Cooper elétrico, o carro é exatamente igual ao Mini Cooper S que utiliza motor a combustão interna. As baterias ficam abaixo do túnel central e do banco traseiro, em forma de T. Não roubam nenhum espaço do porta-malas (211 litros). Aliás, mesmo sendo mais alto, o modelo elétrico tem o centro de gravidade rebaixado em 3 cm. 

O painel é igual em tudo que é possível ser igual. Uma das diferenças é o quadro de instrumentos. O Mini elétrico não tem conta-giros, mas sim um marcador que mostra quanto de potência está sendo entregue ou se a bateria está regenerando energia (em desacelerações e frenagens). O Mini Cooper S E é o primeiro carro do grupo BMW que oferece ao condutor a opção de tornar a regeneração ainda maior (Eco+). Nesse caso, o carro passa a rodar no sistema de um pedal, ou seja, ele não apenas desacelera como também freia quando se tira o pé do acelerador.

Mini Cooper S E Top Collection.
Mini Cooper S E Top Collection.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Do lado direito do quadro de instrumentos digital fica o marcador da carga da bateria e uma estimativa de alcance. E este foi o nosso momento de “emoção” ao passar um dia com o Mini Cooper elétrico. Teoricamente, o carro tem capacidade para rodar 234 km. Mas o painel indica pouco mais de 180 km de alcance com a bateria totalmente carregada. Por isso, escolhemos um roteiro curto, a 60 km de São Paulo.

É verdade que demos algumas rápidas aceleradas para sentir o potencial do Mini elétrico no modo Sport (há também o modo Mid), mas em 90% do tempo rodamos no modo Eco+, ou seja, com máxima regeneração de energia. Mesmo assim, a carga da bateria foi caindo de forma assustadora, pois não havia posto de carregamento da Mini no roteiro escolhido. O carro completou a viagem com cerca de 30 km de autonomia. Por isso, sem dúvida, trata-se de um carro para usar na cidade.

Uma pena, pois no trânsito não dá para usufruir da performance que o Mini Cooper elétrico oferece. Então, a pergunta que fica é: vale a pena comprar o Mini Cooper S E? Existe o lado bacana de não consumir uma gota de combustível e não emitir um grama de dióxido de  carbono, mas tem também o lado prático.

Mini Cooper S E Top Collection.
Mini Cooper S E Top Collection.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

O Mini Cooper S E Top elétrico custa R$ 265 mil. O Mini Cooper S Top 2.0 a gasolina sai por R$ 245 mil. Considerando o preço da gasolina a R$ 6 o litro, o tanque de 44 litros e uma autonomia de 11,3 km/l na cidade, dá para rodar 497 km com o Mini Cooper S 2.0 com um gasto de R$ 264. Já  no Mini Cooper S elétrico, para rodar 468 km o gasto com energia elétrica será de aproximadamente R$ 60. Há, sim, uma vantagem financeira por km rodado para quem compra o Mini elétrico.

A rede de abastecimento do grupo BMW e também de outras empresas tem crescido bastante. Por isso, considerando todas as vantagens ecológicas proporcionadas pelo carro totalmente elétrico, vale a pena comprar o Mini Cooper S E para quem roda a maior parte do tempo na cidade -- ou faz viagens curtas e para lugares com postos de abastecimento.

Na estrada, ele é limitado até na velocidade máxima (150 km contra 235 km/h do modelo a gasolina). O Mini Cooper S a gasolina também é mais potente (192 cv) e tem torque maior (279 Nm), por isso também é 6 décimos mais rápido na aceleração de 0 a 100 km/h (6,7 segundos). De maneira geral, gostamos deste Mini “ligado no 220”. Pena que a capacidade da bateria ainda é limitada.

O Mini Cooper S E já está nas revendas da marca em três versões: Exclusive (R$ 239.990), Top (R$ 264.990) e Top Collection (R$ 269.990), que foi a que avaliamos. 

GUIA DO CARRO / MINI COOPER S E 
ITEMCONCEITONOTA
MOTORBom7,5
CÂMBIOÓtimo10
SUSPENSÃOÓtimo10
FREIOSÓtimo9
DIREÇÃOÓtimo9
EQUIPAMENTOSÓtimo9
ERGONOMIAMuito bom8
PORTA-MALASBásico4
ACABAMENTOÓtimo10
DESIGNÓtimo10
VEREDICTOMuito bom 8,7

 Os números

  • Preço: R$ 269.990 
  • Motor: 1 elétrico de 135 kW
  • Potência: 184 cv a 1 rpm
  • Torque: 270 Nm a 1 rpm
  • Câmbio: 1 marcha AT
  • Comprimento: 3,845 m 
  • Largura: 1,727 m 
  • Altura: 1,414 m
  • Entre-eixos: 2,495 m
  • Vão livre: 124 mm
  • Peso: 1.365 kg
  • Pneus: 205/45 R17
  • Porta-malas: 211 litros
  • Carga útil: 405 kg
  • Bateria: 32,6 kWh
  • 0-100 km/h: 7s3
  • Velocidade máxima: 150 km/h
  • Alcance: 234 km
  • Consumo elétrico: 16,8 kWh/100 km
  • Emissão de CO2: 0 g/km
Mini Cooper Cabrio é cheio de charme, mas parece um kart?:

 

Guia do Carro
Publicidade
Publicidade