0

Avaliação: Hyundai HB20 Sense 1.0 traz dignidade na cidade

Hyundai HB20 Sense 1.0 aspirado faz 12,8 km/l na cidade e tem uma boa multimídia básica, itens que o fizeram ser um sucesso de vendas

29 jan 2021
17h05
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Hyundai HB20 Sense 1.0: versão mais vendida da nova geração foi lançada em junho.
Hyundai HB20 Sense 1.0: versão mais vendida da nova geração foi lançada em junho.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

A nova geração do Hyundai HB20 tem três versões com motor 1.0 flex, naturalmente aspirado, com câmbio manual de 5 marchas: Sense por R$ 53.290, Vision por R$ 58.290 e Evolution por R$ 60.390. As três versões oferecem um Pack opcional que acrescenta R$ 1.000 no preço de cada uma delas. Nessa configuração, o HB20 tem 75 ou 80 cv de potência (gasolina ou etanol) e 92 ou 110 Nm de torque (g/e).

O motor não é muito potente, mas é bastante econômico. Por isso, passado o susto inicial com o visual polêmico do novo HB20, os clientes voltaram a apreciar as qualidades do carro. Não por outro motivo, o Hyundai HB20 registrou 86,5 mil emplacamentos em 2020, fechando a temporada com o vice-campeonato no ranking nacional de vendas, perdendo apenas para o Chevrolet Onix.

HB20 Sense é um carro muito prático para o dia a dia, mas precisa de chave para abrir o porta-malas.
HB20 Sense é um carro muito prático para o dia a dia, mas precisa de chave para abrir o porta-malas.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Rodamos durante uma semana com o HB20 Sense básico e pudemos comprovar as qualidades do hatchback coreano produzido em Piracicaba (SP). É preciso tirar do carro o que ele tem de melhor. Na cidade, o HB20 Sense 1.0 é um carro muito prático, bom de guiar, que entrega dignidade aos ocupantes, pois é agradável na condução, tem engates de marcha amigáveis, um sistema multimídia básico muito bom e conforto compatível com a categoria.

O motor é de três cilindros e revela a qualidade da construção, pois praticamente não há vibrações durante seu funcionamento. A Hyundai caprichou nesse item e melhorou também a qualidade do acabamento em relação à geração anterior. Alguém que queira sair acelerando forte nos semáforos vai se decepcionar com o carro, pois ele leva longos 14,5 segundos para ir de 0 a 100 km/h. Entretanto, no uso cotidiano, rodando entre  2.500 e 4.500 giros, o motor cumpre sua tarefa, pois o carro é leve (989 kg).

Nova geração do HB20 não aderiu ao modismo de elevar a suspensão do carro, o que foi ótimo.
Nova geração do HB20 não aderiu ao modismo de elevar a suspensão do carro, o que foi ótimo.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Para quem procura um carro prático para o dia-a-dia, o HB20 Sense está de bom tamanho. Sua maior virtude é o consumo. Mesmo utilizando um motor aspirado, é possível fazer 12,8 km/l na cidade com gasolina e 9,1 km/l com etanol. Para quem pega alguns trechos de estrada, vale a pena rodar com gasolina, pois ele faz 14,6 km/l na estrada (com etanol, faz apenas 10,1 km/l).

Os bancos são confortáveis, com fácil ajuste de posição, e são forrados em tecido Woven preto. A ergonomia do carro é boa, o que permite uma agradável posição de dirigir mesmo sem os ajustes na coluna. Lembre-se: estamos falando de um carro básico, na faixa de R$ 53 mil. O volante é bem leve, com assistência elétrica. Os vidros dianteiros e as travas das portas dianteiras e do porta-malas são elétricas também -- estas são acionadas eletronicamente a 20 km/h, porém é preciso colocar a chave na fechadura para abrir e fechar as portas. Essa foi a única parte um pouco irritante para quem está acostumado a rodar com carros que fazem tudo sozinhos.

Painel é simples e muito eficiente, com quadro de instrumentos digital e ótima multimídia básica.
Painel é simples e muito eficiente, com quadro de instrumentos digital e ótima multimídia básica.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Os espelhos são ajustados manualmente, por dentro, o que não chega a incomodar para quem procura um carro para rodar e não para se sentir na sala de estar de uma casa confortável. A Hyundai acertou a mão na conectividade e esta talvez seja a razão pela qual a versão Sense, lançada em junho de 2020, melhorou as vendas do HB20 e se tornou a mais vendida da linha. Mesmo nessa versão básica, de entrada, o HB20 traz rádio blueAudio integrado ao painel, conexão Bluetooth, streaming de áudio, acesso a agenda e histórico de chamadas, MP3 player, conexão USB e comandos no volante. 

Essa multimídia simples entrega tudo que uma pessoa moderna precisa para estar conectada no trânsito. Claro que não há uma grande tela com touch screen e outras funcionalidades, mas ela é muito boa e facílima de operar. Dá também uma certa beleza ao painel por seu design e pela boa localização. Também gostamos do quadro de instrumentos convencional, que a Hyundai chama de Supervision Cluster, trazendo dois marcadores redondos e com ponteiros. Ficou melhor do que o das versões mais caras do novo HB20. O carro conta ainda com um computador de bordo sete sete funções.

O design frontal do novo HB20 é seu ponto mais polêmico: críticos dizem que parece um peixe.
O design frontal do novo HB20 é seu ponto mais polêmico: críticos dizem que parece um peixe.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Aos poucos, o HB20 Sense se torna um “amigo do dia-a-dia”. É um carro simples, porém digno. Não chama muita atenção e, convenhamos, quem está dentro do carro não vê o design externo. Sem dúvida, ele é mais bonito por dentro do que por fora.

A Hyundai aplicou máscara negra nos faróis e suavizou a grade frontal com um contorno preto, mas o problema do design não é este. A geração anterior do HB20 era muito bonita e não carecia de uma mudança tão radical, que deixou a frente com “cara de peixe” para se alinhar ao espalhafatoso visual que a marca está adotando em todos os seus carros. Certamente haverá um grande trabalho a fazer quando este carro passar por um facelift.

Voltando à usabilidade do HB20 1.0 aspirado, a praticidade vem também do porte do hatch, que tem apenas 3,94 m de comprimento. O entre-eixos de 2,53 m torna a parte de trás apertada, especialmente porque é um carro de cinco lugares. Por questão de legislação, os três lugares traseiros contam com cinto de segurança de três pontos. Eles são retráteis e com pré-tensionadores, para o caso de uma batida. Também há bons encostos de cabeça para todos os passageiros.

Coluna C do HB20 Sense tem um detalhe em preto para dar ideia de teto flutuante e um pequeno aerofólio.
Coluna C do HB20 Sense tem um detalhe em preto para dar ideia de teto flutuante e um pequeno aerofólio.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

O porta-malas de 300 litros está de bom tamanho para a categoria. O HB20 Sense 1.0 contra com rodas de aço de 14” e bonitas calotas. A largura dos pneus é de 175 mm e o perfil é 70, ou seja, bem alto, o que colabora com o conforto ao rodar em pisos ruins. Os freios são a disco na dianteira e a tambor na traseira. Ao contrário de alguns carros que andam seguindo a moda dos SUVs, o Hyundai HB20 não é muito alto -- tem vão livre de 170 mm. Todas essas características o tornam um carro bem equilibrado também nas curvas, até porque ele não alcança altas velocidades.

Como carro urbano, o Hyundai HB20 1.0 Sense cumpre o que promete e está alinhado com as necessidades atuais do público, que é a de ter um bom carro para rodar, com preço não exorbitante, e que entrega algumas coisas realmente importantes: confiabilidade mecânica, motor econômico e conectividade básica. A ideia de oferecer um Pack que traz itens de segurança, e não de conectividade, também foi muito boa. 

Equipamentos HB20 Sense (R$ 53.290)

  • Nova grade frontal cascading com contorno preto
  • Faróis com máscara negra
  • Calotas de 14", modelo Speed, pneus 175/70 R14
  • Painel de instrumentos Supervision Cluster
  • Bancos em tecido Woven preto
  • Airbag frontal duplo
  • Freios ABS com EBD
  • Fixação Isofix com top tether para cadeirinha de bebê
  • Cintos de segurança dianteiros e traseiros retráteis de 3 pontos com pré tensionadores
  • Apoios de cabeça dianteiros e traseiros com regulagem de altura (x5)
  • Estrutura com deformação programada
  • Coluna de direção colapsável
  • Ar-condicionado
  • Direção elétrica progressiva
  • Vidros elétricos dianteiros
  • Travas elétricas nas portas e porta-malas
  • Computador de bordo com 7 funções: autonomia, consumo médio em km/l, consumo instantâneo em km/l, tempo de viagem, hodômetro parcial (x2) e aviso de revisão
  • Banco do motorista com regulagem de altura
  • Espelho de cortesia no para sol para motorista e passageiro
  • Acionamento intermitente do indicador de direção (3x)
  • Travamento automático das portas e do porta-malas a 20 km/h
  • Rádio blueAudio Rádio integrado ao painel com conexão Bluetooth com streaming de áudio e acesso a agenda e histórico de chamadas, MP3 player, conexão USB e comandos de áudio e Bluetooth no volante
Com gasolina, HB20 1.0 aspirado faz 14,6 km/l na estrada e 12,8 km/l na cidade.
Com gasolina, HB20 1.0 aspirado faz 14,6 km/l na estrada e 12,8 km/l na cidade.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Equipamentos extras do HB20 Sense Pack (R$ 54.290)

  • Controle de estabilidade (ESP)
  • Controle de tração (TCS)
  • Sinalização de frenagem de emergência (ESS)
  • Assistente de partida em rampa (HAC)
  • Airbag lateral de tórax
Aceleração é o ponto fraco do HB20 1.0 aspirado: leva 14,5 segundos para ir de 0 a 100 km/h.
Aceleração é o ponto fraco do HB20 1.0 aspirado: leva 14,5 segundos para ir de 0 a 100 km/h.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Os números

  • Preço: R$ R$ 53.290
  • Motor: 1.0 aspirado flex
  • Potência: 80 cv a 6.000 rpm
  • Torque: 100 Nm a 4.500 rpm
  • Câmbio: 5 marchas MT
  • Tração: 4x2
  • Comprimento: 3,940 m
  • Largura: 1,720 m
  • Altura: 1,470 m
  • Entre-eixos: 2,530 m
  • Vão livre: 160 mm
  • Peso: 989 kg
  • Pneus: 175/70 R14
  • Porta-malas: 300 litros
  • Tanque: 50 litros
  • Aceleração 0-100 km/h: 14s5
  • Velocidade máxima: 161 km/h
  • Consumo cidade: 12,8 km/l (g)
  • Consumo estrada: 14,6 (g)
  • Emissão de CO2: 97 g/km

 

Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade