0

Arrizo 6 é mais confortável do que Corolla, Civic e Cruze

Caoa Chery Arrizo 6 tenta furar o bloqueio dos sedãs médios tradicionais com proposta de muito conforto e preço mais acessível

9 nov 2020
05h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Caoa Chery Arrizo 6: aposta ousada num segmento dominado pelos carros japoneses.
Caoa Chery Arrizo 6: aposta ousada num segmento dominado pelos carros japoneses.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

O mercado brasileiro de sedãs médios é um terreno minado. Mesmo assim, a Caoa Chery decidiu apostar nesse segmento com o Arrizo 6, um carro criado na China e fabricado no Brasil. Para furar o bloqueio, o Arrizo 6 traz uma receita com forte tempero de conforto e pitadas de custo-benefício. O carro é mais confortável do que os sedãs que dominam a categoria (Toyota Corolla, Honda Civic e Chevrolet Cruze).

A Caoa Chery já é conhecida pelos SUVs da família Tiggo, formado pelos modelos Tiggo 2, Tiggo 5X, Tiggo 7 e Tiggo 8. Mas a marca também quer criar uma base de clientes entre os sedãs -- o Arrizo 6 chegou recentemente para se posicionar acima do Arrizo 5, que é compacto. A estratégia parece boa. O Arrizo 6 quer um naco do bolo que é quase todo devorado pelos sedãs japoneses.

Arrizo 6 impressiona pelo porte de 4,675 m de comprimento e tem preço mais acessível do que os rivais.
Arrizo 6 impressiona pelo porte de 4,675 m de comprimento e tem preço mais acessível do que os rivais.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Para ganhar mercado no Brasil, o Arrizo 6 tem um design arrojado, com a parte traseira insinuando-se entre um sedã-cupê e um fastback. O desenho  não é conservador como o do novo Corolla, mas também não é tão ousado como o do Civic (que, pelo que se sabe, não continuará da mesma forma na próxima geração). Em relação ao Cruze, o Arrizo 6 procura ser menos óbvio. 

A parte frontal traz muita personalidade ao Arrizo 6. Não somente pela grade proeminente e pelos faróis bem horizontais, mas por conta de uma escultura que divide a grade ao meio, com um friso cromado recuado em relação à parte inferior (que também têm relevos distintos). É como se os elementos da grade fizessem parte da superfície do para-choque. As duas extremidades inferiores são quase quadradas, mas o que se destaca são duas faixas horizontais (e grossas) de LED. Vista de longe, a grade forma um X.

Volante multifuncional e painel digital mostram que o Arrizo 6 é um carro moderno.
Volante multifuncional e painel digital mostram que o Arrizo 6 é um carro moderno.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Visto de lado, o Arrizo 6 tem a linha de cintura bastante ascendente. Essa solução, combinada com o teto em queda longa, fez com que a porta traseira tivesse uma janela, uma vigia e um prolongamento, o que encare a fabricação, mas também ajuda na luminosidade no interior. As rodas são muito bonitas, com cinco raios duplos, cinco furos, de 17”, com pneus 205/50. 

A traseira em forma de cupê dá ao carro uma certa esportividade. As lanternas invadem a tampa do porta-malas e são ligadas por uma barra cromada. O carro é imponente; mede 4,675 m de comprimento e 1,814 m de largura. O carro é chinês, mas o design é italiano, e a aerodinâmica é um forte atributo, com bom coeficiente (Cx) de 0,28.

Traseira tem design sedã-cupê, com duas grandes lanternas avançando na tampa do bagageiro.
Traseira tem design sedã-cupê, com duas grandes lanternas avançando na tampa do bagageiro.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

O motor 1.5 turbo flex de 147/150 cavalos (g/e) é capaz de encarar o Civic (nas versões aspiradas) e o Cruze, pois os três carros têm potência similar. A surpresa fica por conta do desempenho do Arrizo 6 na estrada. O carro é muito macio, mais confortável do que os rivais, como já dissemos, mas ao rodar demonstra um dinamismo que só o motor não explica. Ele conta com uma nova geração do câmbio CVT de nove marchas (premiado internacionalmente), que proporciona vigor nas retomadas de velocidade.

O sedã médio da Caoa Chery gasta 4,3 segundos para reacelerar de 40 a 80 km/h, 5,1 segundos para ir de 60 a 100 e 6,1 segundos para ir de 80 a 120 km/h. Essas boas marcas de retomadas até 100 km/h são mérito do câmbio CVT de nove marchas e do torque disponível em baixos regimes de rotação do motor.

Interior do Arrizo 6 tem acabamento de couro e cromados junto com três telas digitais.
Interior do Arrizo 6 tem acabamento de couro e cromados junto com três telas digitais.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

O baixo nível de ruídos é outra característica. O motor normalmente gira entre 2.000 e 3.000 rpm, mesmo em boas velocidades, pois o torque de 210 Nm já está disponível a partir de 1.750 giros. A potência máxima surge a 5.500 rpm. A direção com assistência elétrica é bem leve nas manobras, mas mantém-se firme em velocidade, um item no qual os carros chineses da Caoa Chery são superiores aos da JAC Motors.

O Arrizo 6 não tem a proposta de ser um carro esportivo, mas aceita bem as curvas até uns 120 ou 130 km/h; se exigido em velocidades muito altas, o carro vai mostrar os limites da suspensão traseira por eixo de torção e da opção pelo conforto, especialmente se o piso for ruim (em asfalto liso a traseira é mais firme). Em termos de comportamento dinâmico, o Arrizo 6 tem um handling confiável, mas é inferior ao Toyota Corolla e ao Honda Civic. O sistema de freios também se mostrou eficiente, mas em frenagens de emergência há desvio de trajetória para a esquerda.

Visual da parte dianteira dá identidade exclusiva ao carro, que tem belas rodas de 17".
Visual da parte dianteira dá identidade exclusiva ao carro, que tem belas rodas de 17".
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

A ergonomia é outro ponto positivo do Arrizo 6, tanto que a ausência de ajuste de profundidade do volante (tem apenas de altura) não impediu uma boa posição de dirigir, até porque o banco pode ser posicionado milimetricamente na altura com comandos elétricos. De uma maneira geral, a condução do Arrizo é prazerosa, porque o painel de instrumentos digital TFT 7” também é competente e intuitivo, com boas informações no computador de bordo.

Em alguns aspectos, o computador de bordo supera o dos rivais, pois mostra autonomia, consumo instantâneo e consumo médio na mesma tela. Vai até além no caso dos pneus, monitorando não apenas a pressão de cada um, mas também a temperatura. Pneus frios, como se sabe, não têm muita aderência. Tanto o volante multifuncional (de boa empunhadura) como o console central têm comandos práticos.

A central multimídia tem uma tela tátil grande, de 9”, mas a conectividade é só com o Apple CarPlay (como a Porsche e alguns carros da BMW). Quem tem celular Android consegue espelhar o smartphone, mas não consegue acessar o Android Auto, que é outro item que pode melhorar numa futura mudança de ano-modelo. Os comandos táteis do ar-condicionado também podem ser melhorados pela Caoa Chery -- embora sejam visualmente fáceis de entender, o controle da temperatura por números é melhor do que por cores (azul para frio e vermelho para quente).

Porta-malas do Caoa Chery Arrizo 6 é o maior da categoria, com 570 litros de capacidade.
Porta-malas do Caoa Chery Arrizo 6 é o maior da categoria, com 570 litros de capacidade.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Com pitadas de ousadia no design e bom desempenho na estrada, o Arrizo 6 é um sedã familiar bastante honesto e com boa relação custo-benefício -- seu preço é inferior ao dos japoneses. Para além do amplo espaço interno e do conforto superior ao dos rivais, o Arrizo 6 tem um porta-malas bastante volumoso, com 570 litros. 

O Caoa Chery Arrizo 6 é o modelo mais moderno e luxuoso da plataforma global MX1, que permitiu à marca competir no mercado global. O sedã é fabricado em Jacareí (SP) e é vendido em versão única, GLX, por R$ 102.990 (preço de lançamento, pois o de tabela é R$ 108.750).

Comportamento dinâmico do Arrizo 6 surpreende pela capacidade do câmbio CVT de 9 marchas.
Comportamento dinâmico do Arrizo 6 surpreende pela capacidade do câmbio CVT de 9 marchas.
Foto: Caoa Chery / Divulgação

Além dos itens já citados, o sedã traz também teto solar elétrico, sensor de estacionamento traseiro, piloto automático, assistente de partida em subida, acendimento automático dos faróis, câmera 360 graus, comando de climatização à distância, saída do ar-condicionado para os passageiros traseiros, bancos traseiros com encosto rebatível, descansa-braço central com porta-copos, freio de estacionamento eletrônico e função Auto Hold,  destravamento das portas por aproximação, acionamento do motor por botão, rebatimento elétrico dos retrovisores, sistema de som com seis alto-falantes e três entradas USB.

Em termos de segurança, o carro traz seis airbags, controles eletrônicos de estabilidade e tração, freios a disco nas quatro rodas com ABS e EBD, indicador de cinto do motorista e do passageiro, indicador de portas abertas, isofix e alarme. O Arrizo 6 tem três anos de garantia para o veículo completo e cinco anos para motor e câmbio. Ele é vendido em cinco cores: branco sólido, preto sólido, cinza metálico, prata metálico e branco perolizado.

Os números

  • Preço: R$ 102.990
  • Motor: 1.5 turbo flex
  • Potência: 150 cv a 5.500  rpm (e)
  • Torque: 210 Nm a 1.750 rpm (g/e)
  • Câmbio: 9 marchas CVT
  • Comprimento: 4,675 m
  • Largura: 1,814 m
  • Altura: 1,493 m
  • Entre-eixos: 2,650 m
  • Vão livre: 148 mm
  • Pneus: 205/50 R17
  • Peso: 1.364 kg
  • Porta-malas: 570 litros
  • Tanque: 48 litros
  • 0-100 km/h: 10s0
  • Velocidade máxima: 190 km/h
  • Consumo cidade: 11,0 km/l
  • Consumo estrada: 13,3 km/l
  • Emissão de CO2: n/d

Veja também:

Porsche Taycan, o carro elétrico que é uma obra-prima
Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade