PUBLICIDADE
Logo do

Tecnologia e Soluções

Luli Radfahrer explica dinâmica de trabalho na pandemia

Em entrevista, professor-doutor de Comunicação Digital da ECA-USP, explicou sobre a nova dinâmica de trabalho exigida pela pandemia

30 jun 2021 09h00
| atualizado em 4/7/2021 às 17h24
ver comentários
Publicidade
Luli Radfahrer
Luli Radfahrer
Foto: FF

Após mais de um ano convivendo com a realidade solitária da pandemia da Covid-19, já percebemos que o trabalho remoto e a digitalização dos principais serviços do nosso cotidiano vieram para ficar, mas a realidade é múltipla, e o trabalho remoto traz consigo muitas complexidades e disparidades que já víamos no trabalho analógico: os funcionários estão trabalhando cada vez mais, com menos rede de apoio, mais stress mental e menos horas de lazer. De acordo com Luli Radfharer, professor-doutor de Comunicação Digital da ECA-USP, a tecnologia não precisa ser vilã, e na verdade pode ser instrumental em um futuro no qual todos trabalharemos menos e a semana de trabalho com sete dias se tornará algo obsoleto.

 

Assista à entrevista na íntegra:

Luli Radfahrer analisa a digitalização do trabalho:

“A ideia de trabalho remoto assistida por ferramentas colaborativas se torna muito mais eficiente. Acredito que nos próximos anos vamos diminuir o número de dias necessários para trabalhar durante a semana, além das horas, o que não fará nenhuma diferença na produtividade geral”, explicou. 

O especialista também afirmou que a tecnologia, mais do que criar gadgets futuristas, deve focar em aprimorar o indivíduo e abrir espaço para uma democratização do conhecimento e do acesso à informação.

“Um mito que a pandemia ajudou a eliminar foi a ideia de que trabalho em casa não funciona. O que se percebeu é que boa parte do trabalho feito remoto passou a ser mais eficiente. Estamos passando a valorizar o indivíduo pela capacidade intelectual, não pela roupa que ele veste”, completou.

Fonte: Equipe portal
Publicidade
Publicidade