4 eventos ao vivo

Oyo demite centenas no Brasil; Conta Azul enxuga um terço do time

Startup indiana de hospedagem fez corte massivo de equipe ao ser afetada pelo coronavírus; já a companhia de contabilidade foi impactada por redução de atividade de pequenas empresas

23 abr 2020
20h31
atualizado em 24/4/2020 às 13h01
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O novo coronavírus não para de afetar os empregos no setor de startups aqui no Brasil. Desta vez, a onda de demissões afetou a startup indiana Oyo, que havia chegado ao País em um ano com a proposta de "digitalizar e padronizar" hotéis com seu serviço. Bastante afetada pela redução das atividades no setor de turismo e hospedagem, a empresa confirmou ao Estado que teve de "demitir uma parcela" de seus colaboradores.

Em comunicado, a empresa disse que a " atual situação de pandemia afetou significativamente nossas operações. Como resultado, descobrimos que seria imprescindível tomar decisões difíceis para a sustentabilidade do negócio".

Questionada pela reportagem, a indiana não confirmou números das demissões - relatos em redes sociais afirmam que os cortes giraram em torno de 500 pessoas. Em fevereiro, em entrevista ao Estado, o gerente-geral da Oyo no Brasil, Henrique Weaver, afirmou que a companhia tinha um time de 700 funcionários espalhados pelo País. Uma fonte com conhecimento do tema revelou à reportagem, ainda, que o time da empresa ficaria com cerca de 150 pessoas. Segundo a fonte, que preferiu não se identificar, os cortes aconteceram em várias cidades e uma pasta no Google Drive com currículos dos funcionários em busca de recolocação já está circulando pela internet.

Na mesma ocasião, a startup disse ter uma rede de 450 hotéis afiliados em 40 cidades diferentes, somando cerca de 12 mil quartos em todo o território nacional.

Os ajustes da Oyo não ficaram restritos ao Brasil: em todo o mundo, a empresa decidiu reduzir os salários de um percentual considerável de seus funcionários. Em março, a empresa tinha 30 mil funcionários, mas havia decidido cortar 5 mil pessoas. Segundo o presidente executivo da empresa, Ritesh Agarwal, o coronavírus reduziu até 50% das receitas da empresa e dos níveis de ocupação, afetando bastante o caixa da empresa.

Contabilidade

Quem também teve de fazer demissões nos últimos dias foi a startup Conta Azul, de Joinville (SC). Especializada na área de contabilidade, com softwares para gestão de pequenas empresas, a startup foi afetada pelo impacto causado pelo coronavírus no setor. Em texto publicado na rede social LinkedIn, o presidente executivo Vinicius Roveda afirmou que a empresa precisou direcionar esforços para seguir em frente.

Ao todo, foram realizados 140 cortes, especialmente nas áreas de operação de vendas e expansão. Segundo a empresa, que permanece com 300 pessoas, não houve cortes nas áreas de tecnologia e antendimento ao cliente. Questionada, a startup afirmou ainda que não pretende fazer contratações em breve.

Ao todo, mais de dez startups brasileiras já tiveram de fazer cortes em suas operações em meio ao período do coronavírus - entre elas, estão os unicórnios Quinto Andar, Loft e Gympass, bem como fintechs conhecidas como Creditas e Neon. As demissões já somam pelo menos mil vagas reduzidas no setor.

Veja também:

Apple Event: 3 detalhes que merecem destaque
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade