1 evento ao vivo

Fundadores de startups vão doar pelo menos 1,5 mi de máscaras ao Hospital das Clínicas

Campanha liderada por cofundadores dos unicórnios Loft e Wildlife uniu principais startups do País; meta do grupo é chegar a 3 milhões de máscaras doadas, com cada uma custando cerca de R$ 2

2 abr 2020
10h41
atualizado às 13h56
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Um dos aspectos mais complicados da atual crise do coronavírus é a iminente falta de materiais básicos nos hospitais. Para evitar que isso aconteça em um dos centros de saúde mais importantes de São Paulo, um grupo de empreendedores decidiu lançar uma campanha de arrecadação para a compra de máscaras para o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). Chamado de Tech for Good, o programa é liderado pelos irmãos Victor e Arthur Lazarte, da Wildlife, e os cofundadores da Loft Mate Pencz e Florian Hagenbuch - as duas empresas fazem parte do clube dos unicórnios brasileiros, apelido dado às startups avaliadas em pelo menos US$ 1 bilhão.

Nos últimos dias, eles arregimentaram um grupo de empreendedores das principais startups do País e colocaram no ar uma plataforma para quem quiser se juntar a campanha. Por enquanto, as doações já contabilizaram 1,5 milhão de máscaras - o custo de cada máscara, estimado em R$ 2, já inclui o transporte direto da China, bem como impostos e custos de importação. "É importante que a agilidade das startups possa contribuir para a prevenção ao Covid-19", afirmou Hagenbuch, em comunicado enviado à imprensa.

Só os quatro líderes da campanha contribuíram com 500 mil máscaras. Entre os doadores, estão nomes como David Vélez (Nubank), Cesar Carvalho (Gympass), Fabricio Bloisi (Movile e iFood) Tallis Gomes (EasyTaxi e Singu) e o trio por trás da 99, Paulo Veras, Ariel Lambrecht e Renato Freitas. Também participaram fundadores de unicórnios como Ebanx, Stone e Loggi. Fundos de investimento, como Canary (que também é idealizado por Pencz e Hagenbuch), Kaszek, Monashees, General Atlantic e GFC, aderiram à campanha.

Nos próximos dias, o grupo vai buscar mais parceiros, além de abrir um link para uma plataforma online para quem quiser doar também. As doações poderão ser feitas por meio da VitalCure, sistema de financiamento coletivo (crowdfunding), que fez uma parceria com o HC para campanhas de arrecadações em meio à pandemia.

Segundo o Hospital, seu comitê de crise se prepara desde janeiro para o coronavírus, aumentando seus estoques. "Mas será uma crise longa, com falta de materiais ocorrendo em várias parte do mundo", afirma o superintendente do HCFMUSP, Antônio José Rodrigues Pereira. "Por isso, a iniciativa das empresas de tecnologia é muito bem vinda, o apoio da sociedade é fundamental."

Veja também:

Home office no Facebook será permanente. E outras empresas?
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade