0

Geely e Foxconn formam parceria para produzir carros para outras montadoras

13 jan 2021
13h12
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Foxconn e a montadora chinesa de veículos Zhejiang Geely anunciaram nesta quarta-feira que vão formar uma parceria para fornecer contratos de fabricação para outras montadoras.

REUTERS/Tyrone Siu
REUTERS/Tyrone Siu
Foto: Reuters

Cada uma delas deterá 50% de um empreendimento que também prestará serviços de consultoria em tecnologias de veículos elétricos (EVs) às montadoras, afirmaram as empresas em comunicado.

Isso marca o movimento mais recente da Foxconn, uma grande fornecedor de serviços de montagem de produtos da Apple, no setor de automóveis após uma parceria com a startup chinesa de carros elétricos Byton e ocorre em meio a relatos de que a Apple provavelmente lançará um carro elétrico autônomo em 2024.

Para a Geely, a parceria permitirá que ela compartilhe sua primeira plataforma com foco em EVs, lançada em setembro, com outras montadoras, de acordo com pessoas familiarizadas com o plano.

É também o segundo negócio anunciado esta semana pela Geely, que disse que trabalhará com o gigante chinês Baidu para desenvolver veículos elétricos.

A Geely, que possui a Volvo Cars e 9,7% da Daimler, está empenhada em melhorar a taxa de utilização da capacidade de suas fábricas na China, disseram fontes.

A principal empresa listada do grupo chinês, a Geely Automobile, tem capacidade para produzir mais de 2 milhões de veículos por ano, praticamente o mesmo volume produzido por todas as montadoras do Brasil em 2020, mas vendeu cerca de 1,32 milhão em 2020. A Geely Automobile planeja emitir ações na bolsa STAR da China este ano.

A Foxconn, cujo nome oficial é Hon Hai Precision Industry, disse em outubro que pretendia fornecer componentes ou serviços para 10% dos veículos elétricos do mundo até 2025-2027.

Veja também:

Como a Tesla fez de Musk a 2ª pessoa mais rica do mundo
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade