PUBLICIDADE

Quadrilha manteve idosa dopada e em cárcere privado no RJ

Sônia Maria da Costa, de 79 anos, foi vítima de um grupo especializado em roubar idosos ricos

16 mai 2022 11h32
| atualizado às 11h34
ver comentários
Publicidade

A polícia investiga uma quadrilha especializada em aplicar golpes contra idosos no Rio de Janeiro. Os criminosos teriam dopado e mantido a professora aposentada Sônia Maria da Costa, de 79 anos, em cárcere privado e retirado de sua conta R$ 800 mil.  

Segundo reportagem do Fantástico, a vítima levava uma vida simples, apesar de ter pelo menos R$ 5 milhões no banco, ser dona de 20 imóveis e herdeira de uma propriedade rural em Portugal. Tudo mudou quando a aposentada passou a conviver com uma inquilina recém-chegada, investigada como uma das integrantes da quadrilha.  

Sônia desapareceu, mas a cobrança dos aluguéis continou e passou a ser a feita por um escritório de advocacia. Os inquilinos suspeitaram e denunciaram o desaparecimento da idosa à polícia.  

Sônia Maria da Costa, de 79 anos, foi vítima de um grupo especializado em roubar idosos ricos.
Sônia Maria da Costa, de 79 anos, foi vítima de um grupo especializado em roubar idosos ricos.
Foto: Reprodução/Globoplay/Fantástico

Ao investigar o caso, a polícia descobriu que Sônia foi retirada de sua casa, na Vila Isabel (RJ), e transferida para um apartamento em Copacabana (RJ). A mudança teria sido uma estratégia dos criminosos para realizar os golpes bancários sem levantar suspeitas.

Lá, ela teria sido dopada durante 3 semanas até a sua morte. Para ocultar o corpo, a quadrilha enterrou a vítima em um cemitério da Zona Norte com um nome falso. Após investigação da polícia e exumação do corpo, a identidade de  Sônia foi confirmada.

A quadrilha é investigada por extorção com resultado em morte.  

 

 

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade