0

PF faz operação para investigar violação de sigilo do voto

Deflagrada nesta quarta-feira (24), operação Olhos de Lince realiza nove ações simultâneas pelo País

24 out 2018
08h01
atualizado às 08h14
  • separator
  • 0
  • comentários

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (24) operação de combate a crimes relacionados às eleições deste ano, como casos de violação de sigilo do voto e de incitação de homicídio, com nove ações simultâneas sendo realizadas pelo País após monitoramento de redes sociais, informou a PF. A chamada operação Olhos de Lince faz parte das atividades realizadas pelo Centro Integrado de Comando e Controle Eleitoral.

Urnas eletrônicas em Curitiba, no Brasil
25/9/2018   
REUTERS/Rodolfo Buhrer
Urnas eletrônicas em Curitiba, no Brasil 25/9/2018 REUTERS/Rodolfo Buhrer
Foto: Reuters

Como parte das ações, foram emitidos quatro mandados de busca e apreensão nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, e estão sendo preenchidos cinco Termos Circunstanciados de Ocorrência, com a intimação dos investigados nos Estados de Minas Gerais, Pernambuco e Rio Grande do Sul, segundo a PF.

As ações são resultado do trabalho da Polícia Federal no acompanhamento de redes sociais "com o objetivo de identificar e de evitar possíveis crimes eleitorais e ameaças aos candidatos que concorrem ao pleito", e contaram com métodos de reconhecimento facial para identificar suspeitos.

"Para a identificação dos investigados foram utilizadas técnicas de reconhecimento facial, que por meio de critérios científicos permitem a realização de análises e comparações das características faciais tais como cicatrizes, manchas e proporções, possibilitando a identificação de forma técnica e precisa dos suspeitos", afirmou a Polícia Federal em nota.

Logo após o primeiro turno da eleição em 7 de outubro, a PF deflagrou uma operação para investigar e coibir crimes relacionados a vídeos que circularam nas redes sociais. No dia do pleito, circulou um vídeo em que um eleitor denunciava suposta fraude no sistema de urnas eletrônicas. Outro vídeo nas redes mostrava uma pessoa pressionando os dígitos da urna eletrônica com uma arma.

Veja também

 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade