PUBLICIDADE

Mundo

Taiwan diz que novas rotas aéreas chinesas ameaçam segurança de voo das ilhas taiwanesas

19 abr 2024 - 08h55
Compartilhar
Exibir comentários

Taiwan disse na sexta-feira que a decisão da China de abrir novas rotas aéreas que passam perto de duas ilhas controladas por Taiwan foi um risco à segurança de voo tomado sem consulta, e que exigiria que qualquer aeronave que as utilizasse fosse solicitada a dar meia-volta.

O governo de Taiwan expressou sua indignação em janeiro, depois que a China alterou "unilateralmente" uma rota de voo chamada M503, próxima à sensível linha mediana do Estreito de Taiwan. A China reivindica Taiwan, democraticamente governada, como seu próprio território.

As novas rotas chinesas para as cidades chinesas de Xiamen e Fuzhou, chamadas W123 e W122, respectivamente, conectam-se à rota de voo M503 e operam junto com as rotas existentes para as ilhas de Kinmen e Matsu, que têm voos regulares de e para Taiwan.

A China disse em janeiro que estava abrindo rotas de oeste para leste - em outras palavras, na direção de Taiwan - nas duas rotas de voo de Xiamen e Fuzhou, mas até agora não havia anunciado quando elas entrariam em operação.

O órgão regulador da aviação civil da China disse em comunicado na sexta-feira que essas rotas já estavam em operação, acrescentando que, a partir de 16 de maio, "otimizaria ainda mais" o espaço aéreo em torno do aeroporto de Fuzhou.

O órgão não entrou em detalhes, mas isso ocorre quatro dias antes da posse do presidente eleito de Taiwan, Lai Ching-te, um homem que Pequim acredita ser um separatista perigoso. Lai ofereceu várias vezes conversações com a China, mas foi rejeitado.

Uma autoridade sênior de Taiwan familiarizada com o planejamento de segurança da ilha disse que o anúncio da rota de voo faz parte de um padrão de pressão da China.

"Eles querem que cedamos, façamos concessões e mudemos nosso comportamento", afirmou a pessoa, falando sob condição de anonimato, pois não estava autorizada a falar com a mídia.

O Escritório de Assuntos de Taiwan da China não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

A Administração de Aviação Civil de Taiwan disse que a medida impacta seriamente a segurança da aviação no espaço aéreo taiwanês, chamando-a de uma medida unilateral tomada sem consulta.

"O espaço aéreo entre os dois lados é muito pequeno e existem certos riscos", acrescentou.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade