PUBLICIDADE

Reino Unido acredita que Irã esteve por trás de ataque a navio-tanque de empresa israelense no Omã

1 ago 2021 15h07
ver comentários
Publicidade

O Reino Unido disse neste domingo que acredita que o Irã realizou um ataque a um navio-tanque de petróleo gerenciado por Israel na costa do Omã na última quinta-feira, matando um britânico e um romeno, e declarou que está trabalhando em uma "resposta combinada" com países aliados.

O Irã negou qualquer envolvimento no incidente, depois de ter sido responsabilizado primeiramente por Israel.

Avaliações conduzidas pelo Reino Unido concluíram que é altamente provável que o Irã tenha usado um ou mais drones para realizar o ataque , que foi "ilegal e imoral", segundo o secretário de Relações Exteriores britânico, Dominic Raab.

"Acreditamos que este ataque foi deliberado, direcionado e uma clara violação da lei internacional por parte do Irã", disse ele neste domingo. "O Reino Unido está trabalhando com nossos parceiros internacionais em uma resposta combinada a este ataque inaceitável."

O primeiro-ministro israelense Naftali Bennett acusou Teerã de "tentar se esquivar da responsabilidade" pelo ataque e chamou o desmentido de "covarde".

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano, Saeed Khatibzadeh, disse em uma entrevista coletiva neste domingo que "o regime sionista (Israel) criou insegurança, terror e violência ... Essas acusações sobre o envolvimento do Irã são condenadas por Teerã".

"Tais acusações são feitas por Israel para desviar a atenção dos fatos e são infundadas", disse Khatibzadeh.

O britânico e o romeno foram mortos no incidente no Mercer Street, um navio de bandeira liberiana e de propriedade japonesa que é gerenciado pela Zodiac Maritime, uma empresa israelense.

A Marinha dos EUA, que escoltava o navio-tanque com seu porta-aviões USS Ronald Reagan, disse no sábado que os primeiros indícios "apontam claramente" para um ataque de drones.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade