7 eventos ao vivo

Reinfecção de Covid-19 é improvável por pelo menos seis meses, diz estudo

20 nov 2020
15h38
atualizado às 16h59
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

É altamente improvável que pessoas que tiveram Covid-19 contraiam a doença novamente por pelo menos seis meses depois da primeira infecção, segundo um estudo britânico em funcionários de saúde na linha de frente da luta contra a pandemia de coronavírus.

Profissionais de saúde preparam testes de detecção de coronavírus em Houston
20/11/2020 REUTERS/Adrees Latif
Profissionais de saúde preparam testes de detecção de coronavírus em Houston 20/11/2020 REUTERS/Adrees Latif
Foto: Reuters

As descobertas passam tranquilidade a mais de 51 milhões de pessoas ao redor do mundo que foram infectadas com a doença da pandemia, disseram pesquisadores da Universidade de Oxford.

"É uma notícia realmente muito boa porque as pessoas podem ficar confiantes que, pelo menos no curto prazo, a maioria que já pegou Covid-19 não pegará novamente", disse David Eyre, co-líder do estudo e professor do Departamento Nuffield de Saúde da População, em Oxford.

Autoridades da Organização Mundial da Saúde (OMS) gostaram dos resultados do estudo.

"Estamos vendo níveis sustentados de resposta imunológica em humanos até agora", afirmou Mike Ryan, principal especialista de emergência da OMS, em uma entrevista coletiva. "Isso também nos dá esperança para a vacina".

Maria van Kerkhove, líder técnica em Covid-19 para a OMS, acrescentou: "Ainda precisamos seguir esses indivíduos por um período mais longo para ver quanto tempo a imunidade dura".

Casos isolados de reincidência de Covid-19, a doença causada pelo vírus SARS-CoV-2, causaram preocupações de que a imunidade poderia ter vida curta e que pacientes recuperados poderiam rapidamente ficar doentes novamente.

Veja também:

Os traumáticos testes forçados de virgindade no Egito
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade