2 eventos ao vivo

Países devem priorizar serviços essenciais em retomada de viagens internacionais, diz OMS

30 jul 2020
19h56
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse nesta quinta-feira que os países devem suspender restrições a viagens internacionais de forma gradual e com base em uma minuciosa análise de riscos, priorizando viagens essenciais para emergências.

Logo da OMS em Genebra
25/06/2020
REUTERS/Denis Balibouse
Logo da OMS em Genebra 25/06/2020 REUTERS/Denis Balibouse
Foto: Reuters

A OMS recomenda que as prioridades sejam dadas a viagens essenciais para emergências, ações humanitárias, viagens de equipes essenciais e repatriações, afirmou a entidade em um comunicado.

Uma nova onda de infecções no mundo todo forçou muitos países a reestabelecerem restrições a viagens nos últimos dias. 

A OMS agora pede que cada país conduza uma análise própria de riscos e benefícios e decida sobre suas prioridades, antes de retomar as viagens internacionais.

No início da semana, a OMS disse que proibições sobre viagens internacionais não podem continuar em vigência indefinidamente, e que os países terão de fazer mais para reduzir a propagação do novo coronavírus entre suas fronteiras. 

A entidade afirmou no mês passado que iria atualizar suas orientações de viagem antes das férias de verão no hemisfério norte. 

No início de julho, a organização pediu que passageiros utilizem máscaras em aviões e se mantenham informados sobre o surgimento de novos casos de Covid-19 em alguns países. 

A orientação anterior da OMS para viajantes incluía conselhos de bom senso aplicáveis para outras situações, como o distanciamento social, higienização das mãos e evitar tocar olhos, nariz e boca.

Veja também:

Explosão no Líbano: BBC visita epicentro do desastre no porto de Beirute
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade