PUBLICIDADE

Oriente Médio

Senadores dos EUA celebram bloqueio da França ao acordo nuclear do Irã

10 nov 2013 - 19h08
Compartilhar
Exibir comentários

Dois influentes senadores americanos, entre eles o republicano John McCain, saudaram neste domingo a posição da França, que bloqueou a assinatura de um acordo sobre o programa nuclear iraniano entre Teerã e as grandes potências em Genebra. "Vive la France!" (Viva a França!), escreveu o senador John McCain em sua conta no microblog Twitter.

"A França teve a valentia de impedir um acordo ruim sobre o (programa) nuclear iraniano", declarou um dia depois do fracasso de um acordo entre o Irã e o grupo P5+1 (Estados Unidos, França, Reino Unido, Rússia, China e Alemanha). Durante três dias de intensas negociações em Genebra, a França denunciou publicamente os aspectos com os quais discordava e a falta de garantias no acordo de preparação. 

"Graças a Deus pela França, graças a Deus por esta falta de acordo", declarou o senador republicano Lindsey Graham à emissora CNN. Segundo ele, um texto bipartidário é preparado sobre o Irã no Congresso, que resolve sobre novas sanções que podem ser aplicadas ao Irã.

O texto que será apresentado na próxima semana conterá quatro exigências, segundo o republicano: "a suspensão do enriquecimento (de urânio), o desmantelamento de centrífugas, a detenção da construção de um reator de plutônio e uma autorização para o controle de todo o ciclo (de combustível) por parte da comunidade internacional".

"Se um acordo contemplasse estas quatro exigências, estaria satisfeito"; do contrário, "o mundo se arrependerá", acrescentou, ao destacar a preocupação de Israel com a forma como o governo de Barack Obama trata o caso iraniano.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade