PUBLICIDADE

Líder do Hamas pede trégua humanitária na Faixa de Gaza

Khaled Meshaal pediu à comunidade internacional que ajude a abastecer a região com remédios, combustível e outros produtos

23 jul 2014 18h55
| atualizado às 18h58
ver comentários
Publicidade
<p>O l&iacute;der do Hamas, Khaled Meshaal, fala durante entrevista coletiva em Doha, em 23 de julho</p>
O líder do Hamas, Khaled Meshaal, fala durante entrevista coletiva em Doha, em 23 de julho
Foto: Srtinger / Reuters

O líder do Hamas, Khaled Meshaal, pediu nesta quarta-feira uma trégua temporária para permitir a entrada de ajuda humanitária na Faixa de Gaza, mas disse que seu grupo continuará lutando contra uma ofensiva israelense e não concordará com um cessar-fogo mais duradouro sem negociar os termos.

"Estamos muito interessados em ter uma trégua humanitária, como fizemos na última quinta-feira. Precisamos de calma por algumas horas para retirar os feridos. Isto significa uma trégua verdadeira apoiada por um programa verdadeiro de ajuda oferecido ao povo de Gaza", disse ele em uma entrevista coletiva no Catar.

O líder do grupo islâmico, que controla o território palestino, pediu à comunidade internacional que ajude a abastecer a Faixa de Gaza com remédios, combustível e outros produtos.

Porém, afirmou que qualquer cessar-fogo permanente poderá apenas acontecer depois de Israel encerrar o seu cerco, e que só poderá ser implementado depois de ser complemente negociado.

"Todo mundo quer que aceitemos um cessar-fogo e, em seguida, negociemos nossos direitos, nós rejeitamos isso e nós rejeitamos isso de novo hoje", disse Meshaal.

Ele acrescentou que, apesar dos esforços para mediar um cessar-fogo mais duradouro, não houve avanço.

Faixa de Gaza: entenda o conflito Faixa de Gaza: entenda o conflito
Conheça um pouco mais sobre a região, que tem um quarto do tamanho do município de São Paulo, mas uma enorme importância para a história do Oriente Médio

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade