0

Israel bombardeia prédios mais altos da Faixa de Gaza

Testemunhas contaram que a aviação de guerra lançou pequenos projéteis de aviso sobre o imóvel antes de disparar quatro potentes bombas contra o edifício

26 ago 2014
08h41
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Bombardeios a prédios altos e residenciais mataram, pelo menos, duas pessoas nesta terça-feira
Bombardeios a prédios altos e residenciais mataram, pelo menos, duas pessoas nesta terça-feira
Foto: Ahmed Zakot / Reuters

Aviões de combates israelenses mataram duas pessoas em Gaza nesta terça-feira e destruíram uma grande torre de apartamentos e um conhecido centro comercial, deixando dezenas de feridos, informaram fontes médicas.

O porta-voz do ministério da Saúde palestino na Faixa, Ashraf al Qedra, confirmou quee dois jovens morreram em um bombardeio sobre o centro da cidade de Gaza, e 20 pessoas ficaram feridas em um ataque contra um edifício residencial de 14 andares.

Testemunhas contaram que a aviação de guerra lançou pequenos projéteis de aviso sobre o imóvel antes de disparar quatro potentes bombas contra o edifício, no qual havia uma centena de apartamentos e 150 lojas que ficaram reduzidas a escombros.

"Enquanto estávamos evacuando as pessoas do edifício, caíram quatro bombas potentes. Eu mesmo fiquei ferido e me tratei no hospital", afirmou um dos médicos em entrevista à televisão local.

Com estas novas mortes, chega a 2.125 o número oficial de vítimas mortais palestinas nos 50 dias de bombardeios de Israel sobre a Faixa, a grande maioria civis e 25% de crianças.

Do lado israelense morreram 64 soldados israelenses em combates com milícias palestinas, e dois civis israelenses - um deles menor - um beduíno e um trabalhador asiático, estes últimos atingidos por projéteis disparados de Gaza.

De acordo com números da ONU, mais de 450 mil pessoas deixaram suas casas e se tornaram deslocados internas, número que representa um quarto da população da Faixa.

Ataques aos prédios altos e residenciais
Israel voltou a bombardear as construções mais altas da Faixa de Gaza nesta terça-feira, derrubando um prédio de apartamentos e escritórios com 13 andares e destruindo a maior parte de um edifício residencial de 16 andares, após ter alertados os moradores a deixarem o local.

Os militares israelenses se recusaram a comentar especificamente sobre os ataques que derrubaram a Torre Basha e danificaram o chamado Complexo Italiano, dizendo apenas ter atacado quinze "locais de terrorismo", incluindo alguns em prédios que abrigavam centros de controle e comando do Hamas.

O Hamas, grupo militante que domina a Faixa de Gaza, acusou Israel de um "ato sem precedentes de vingança contra civis", com o objetivo de dissuadir os palestinos de apoiar o movimento islamista.

Um representante do Hamas, Osama Hamdan, disse que o Egito propôs um novo cessar-fogo e aguarda a resposta de Israel, após a derrocada de uma trégua de cinco dias e o insucesso das negociações indiretas entre israelenses e palestinos no Cairo há uma semana.

Preso a uma guerra que já dura sete semanas e prometendo interromper o lançamento de foguetes a partir do enclave, Israel começou a atacar os três edifícios mais altos de Gaza no sábado, quando derrubou a torre Al Zafer, de 13 andares.

Com informações da Reuters e EFE.

Faixa de Gaza: entenda o conflito Faixa de Gaza: entenda o conflito
Conheça um pouco mais sobre a região, que tem um quarto do tamanho do município de São Paulo, mas uma enorme importância para a história do Oriente Médio

Veja também:

Como funcionam as eleições presidenciais nos EUA
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade