PUBLICIDADE

Mundo

Número de estrangeiros em Portugal dobrou em 10 anos, diz estudo

Análise aponta que migrantes vivem em condições mais precárias

18 dez 2023 - 13h48
(atualizado às 14h09)
Compartilhar
Exibir comentários

Um estudo elaborado por uma fundação em Portugal apontou que o número de estrangeiros vivendo no país dobrou nos últimos 10 anos. O aumento foi puxado pelos brasileiros.

Brasileiros em Lisboa durante as eleições presidenciais de 2022
Brasileiros em Lisboa durante as eleições presidenciais de 2022
Foto: EPA / Ansa - Brasil

A análise da Fundação Francisco Manuel dos Santos ainda alertou que os cidadãos naturais de outras nações vivem em condições mais precárias e recebem salários menores.

Em 2022, quase 800 mil estrangeiros estavam em território português, porém, mais de um terço deles corriam sérios riscos de viver abaixo da linha da pobreza.

O estudo recordou que Portugal ocupa o quarto lugar em um ranking que monitora condições de empregos precários entre trabalhadores estrangeiros na Europa, atrás somente de Croácia, Holanda e Polônia.

Normalmente, os estrangeiros possuem ocupações mais difíceis e perigosas e ganham um salário que é 5,3% inferior em comparação com a média nacional, diz o Observatório das Migrações.

Entre os estrangeiros mais presentes em Portugal, o Brasil aparece disparado na liderança, com 29%, seguido por britânicos (6%), cabo-verdianos (4,9%), italianos (4,4%), indianos (4,3%), romenos (4,1%) e ucranianos (3,9%).

Nos últimos anos, diversas pessoas foram atraídas ao país por salários mais altos e condições fiscais mais favoráveis, tanto que alguns destes estrangeiros recebem vencimentos de até 140% superiores à média, como é o caso dos norte-americanos.

 Apesar do crescimento da chegada de estrangeiros, Portugal é apenas o 18º colocado em uma tabela que calcula a presença de migrantes. .

Ansa - Brasil   
Compartilhar
Publicidade
Publicidade