PUBLICIDADE

Macron nomeia primeira premiê mulher na França em 30 anos

Elisabeth Borne era ministra do Trabalho no 1º mandato do centrista

16 mai 2022 14h55
| atualizado às 15h50
ver comentários
Publicidade

O presidente da França, Emmanuel Macron, nomeou nesta segunda-feira (16) a ministra do Trabalho, Elisabeth Borne, como nova premiê do país, após sua reeleição há três semanas.

Elisabeth Borne era ministra do Trabalho no 1º mandato do centrista
Elisabeth Borne era ministra do Trabalho no 1º mandato do centrista
Foto: EPA / Ansa - Brasil

Com 61 anos, Borne é a primeira mulher no cargo depois de Edith Cresson, indicada há 30 anos pelo então presidente socialista François Mitterrand.

"O presidente da República nomeou a senhora Elisabeth Borne como primeira-ministra e encarregou-a de formar um governo", diz uma mensagem na página oficial do Palácio do Eliseu.

Após vários anos como membro do Partido Socialista francês, a nova chefe de governo juntou-se a Macron em 2017, quando assumiu a pasta dos Transportes. Depois de dois anos no cargo, ela passou a liderar o Ministério da Transição Ecológica e Inclusiva.

Já em julho de 2020, Borne tornou-se ministra do Trabalho, Emprego e Integração. Desde então, a taxa de desemprego na França caiu para os níveis mais baixos em 15 anos.

A indicação da nova premiê francesa é anunciada depois do conservador Jean Castex formalizar sua demissão após quase dois anos na função, em um ato simbólico.

Reeleito para mais um mandato de cinco anos, o centrista do República em Marcha venceu a representante da extrema-direita Marine Le Pen, que afirmou que a indicação de Borne vai trazer "destruição social" para a França.

"Ao nomear Elisabeth Borne como primeira-ministra, Emmanuel Macron demonstra a sua incapacidade de união e a vontade de prosseguir a sua política de desprezo, desconstrução do Estado, destruição social, extorsão fiscal e frouxidão", escreveu ela no Twitter.

En nommant Elisabeth Borne comme Premier Ministre, Emmanuel Macron démontre son incapacité à rassembler et la volonté de poursuivre sa politique de mépris, de déconstruction de l'État, de saccage social, de racket fiscal et de laxisme.

? Marine Le Pen (@MLP_officiel) May 16, 2022

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade