0

Itália registra queda nos números de casos e óbitos em 24h

País somou 28.337 contágios e 562 mortes, mas fez menos testes

22 nov 2020
14h10
atualizado às 14h28
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Ministério da Saúde da Itália revelou neste domingo (22) que o país europeu registrou mais 28.337 novos casos e 562 mortes na pandemia do coronavírus Sars-Cov-2 no período de 24 horas, elevando os totais de contágios e óbitos para 1.408.868 e 49.823, respectivamente.

Em termos absolutos, os dados indicam uma redução nos números diários de contágios e vítimas em comparação com os deste sábado (21), quando foram contabilizados 34.767 contágios e 692 óbitos. Ao todo, são mais de 6 mil infecções a menos.

No entanto, no mesmo período, foram realizados 188.747 testes para detectar a Covid-19, 48.478 a menos do que no período anterior. Desta forma, é possível ver um aumento na proporção entre os diagnósticos positivos e exames realizados, o equivalente a 15%, contra 14,6%.

Já a quantidade de pacientes internados em unidades de terapia intensiva para tratar a Covid-19 também voltou a subir, depois de apenas 10 pessoas serem hospitalizadas em UTIs ontem.

De acordo com o Ministério da Saúde, nas últimas 24 horas, foram 43 novas internações, elevando o número total para 3.801. Nas enfermarias dos hospitais, 34.279 pacientes estão em observação, um aumento de 216 em relação a sábado.

A boa notícia é sobre os italianos que foram colocados em isolamento domiciliar: em um dia, houve um aumento de 13.942, totalizando 767.867. O país também soma 553.098 recuperados e 805.947 contágios ativos.

Em relação às regiões, a Lombardia, considera epicentro da doença na Itália, continua registrando números altos de novos casos, sendo 5.094 entre ontem e hoje.

Na sequência aparecem Campânia (+3.217), Vêneto (+2.956), Emilia-Romagna (2.665) e Piemonte (+2.641). Um crescimento de quatro dígitos no número de novos contágios também é registrado no Lazio, Toscana, Sicília e Puglia.

Veja também:

O jovem que trocou seu piano por uma arma e desapareceu na guerra
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade