PUBLICIDADE

Índia retomará exportação de vacinas contra Covid para Covax e vizinhos

20 set 2021 11h08
| atualizado em 21/9/2021 às 10h26
ver comentários
Publicidade

A Índia retomará a exportação de vacinas contra Covid-19 a partir do próximo trimestre, priorizando a plataforma global de compartilhamento de vacinas Covax e países vizinhos à medida que os suprimentos aumentarem, informou o Ministério da Saúde indiano nesta segunda-feira.

Funcionário passa em frente a contêiner no terminal de cargas do Aeroporto Internacional Indira Ghandi em Nova Délhi
22/12/2020 REUTERS/Anushree Fadnavis
Funcionário passa em frente a contêiner no terminal de cargas do Aeroporto Internacional Indira Ghandi em Nova Délhi 22/12/2020 REUTERS/Anushree Fadnavis
Foto: Reuters

Maior fabricante mundial de vacinas, a Índia parou de exportar os imunizantes contra Covid-19 em abril para se concentrar na inoculação de sua própria população à medida que as infecções dispararam.

Desde então, a produção mensal de vacinas do país mais do que dobrou e deve quadruplicar e chegar a 300 milhões de doses no mês que vem, disse o ministro Mansukh Mandaviya, acrescentando que só os suprimentos excedentes serão exportados.

"Ajudaremos outros países e também cumpriremos nossa responsabilidade com a Covax", disse ele aos repórteres.

Na semana passada, a Reuters noticiou que a Índia estava cogitando reiniciar as exportações de vacinas contra Covid-19 em breve. O país doou ou vendeu 66 milhões de doses a quase 100 países antes de frear as exportações.

O anúncio da retomada das exportações chega antes da visita do primeiro-ministro Narendra Modi a Washington nesta semana, durante a qual as vacinas provavelmente serão debatidas em uma cúpula de líderes dos países do Quad, Estados Unidos, Índia, Japão e Austrália.

A Índia quer vacinar todos seus 944 milhões de adultos até dezembro, e já deu ao menos uma dose a 64% deles e duas doses a 22%.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade