PUBLICIDADE

Homem negro amarrado por policiais nos EUA pede indenização de R$ 5,5 milhões

Donald Neely foi conduzido pela rua 'como se fosse um escravo', dizem os documentos do processo, que processa a cidade do Texas onde tudo ocorreu e seu Departamento de Polícia por negligência.

12 out 2020 17h53
| atualizado às 18h09
ver comentários
Publicidade
Muitas pessoas nas redes sociais compararam as imagens de Neely com a era da escravidão
Muitas pessoas nas redes sociais compararam as imagens de Neely com a era da escravidão
Foto: Anônimo / BBC News Brasil

Um homem negro que foi conduzido pela rua com uma corda por dois policiais brancos montados a cavalo processou a cidade de Gavelston, no Estado do Texas, onde tudo ocorreu, e seu Departamento de Polícia, pedindo indenização de US$ 1 milhão (R$ 5,5 milhões).

A polícia se desculpou no ano passado, depois que foram compartilhadas imagens de Donald Neely, de 44 anos, após ser preso por invasão criminosa.

A ação alega que a conduta dos policiais foi "extrema e ultrajante" e causou prejuízos físicos, emocionais e mentais em Neely.

As acusações feitas contra Neely foram posteriormente rejeitadas por um tribunal.

Muitas pessoas nas redes sociais compararam as imagens de Neely com a era da escravidão, uma alusão explicitamente mencionada no processo.

De acordo com a ação, os policiais deveriam estar cientes de que Neely, "sendo conduzido com uma corda e por policiais montados por uma rua da cidade como se fosse um escravo, consideraria essa conduta ofensiva".

A cidade e o Departamento de Polícia de Galveston estão sendo acusados de negligência.

Neely afirma ter sofrido "escoriações". Além disso, ele "sofreu com o calor e passou por constrangimento, humilhação e medo".

As autoridades municipais se recusaram a comentar sobre o processo.

O que disse a polícia?

No ano passado, depois de um protesto contra as imagens de Neely, a polícia disse que ele não foi amarrado com a corda, mas "algemado, e uma corda foi presa às algemas".

O chefe de polícia de Galveston, Vernon Hale, disse na época que a técnica era aceitável em algumas situações, mas que "os policiais não demonstraram bom senso neste caso".

Não houve "intenção maliciosa", disse ele, e pediu desculpas a Neely pelo "constrangimento desnecessário". A política do departamento foi alterada para evitar o uso desta técnica.

Neely era sem-teto na época e estava dormindo na calçada, informou a imprensa dos Estados Unidos, quando foi preso por invasão criminosa e conduzido ao redor do quarteirão até uma base da polícia montada.

Após uma investigação sobre o incidente, o departamento divulgou imagens das câmeras acopladas ao uniforme dos policiais.

Nelas, eles policiais podem ser ouvidos comentando sobre a possíveis reações à cena da prisão de Neely.

"Isso vai parecer tão ruim. Fico feliz que você não esteja envergonhado, sr. Neely", disse um dos policiais na ocasião.

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
Publicidade
Publicidade