PUBLICIDADE

Mundo

Homem de Gaza separado da noiva pela guerra tenta contatá-la no Dia dos Namorados

14 fev 2024 - 14h43
Compartilhar
Exibir comentários

Youssef Shalha estava ansioso para comprar flores ou um ursinho de pelúcia para sua noiva Bisan Badah no Dia dos Namorados, mas, separado dela pela guerra em Gaza, o único gesto romântico que ele ainda pode lhe enviar é uma mensagem de voz carinhosa.

Os quatro meses de ataques aéreos e terrestres de Israel em Gaza reviram até mesmo os menores aspectos da vida no pequeno enclave palestino, deixando quase todos os seus habitantes sem teto e incapazes de planejar seu futuro.

"Não nos resta nada de bonito. Depois da guerra, para onde iremos?", disse Shalha, que planejava se casar em abril com Badah, cujo aniversário também cai no Dia dos Namorados, que é comemorado nesta quarta-feira em vários países.

O casal estava planejando visitar suas famílias durante o próximo mês de jejum muçulmano do Ramadã, tradicionalmente um período de comemoração.

"Não há mais ninguém para visitar. Todos os meus parentes foram alvos. Tudo foi atingido por ataques aéreos. Tudo foi destruído", disse ele.

Agora, morando em uma barraca em Rafah, na parte mais ao sul da Faixa, depois de fugir primeiro de sua casa em Beit Lahiya e depois de um abrigo em Khan Younis, à medida que a ofensiva israelense avançava, é difícil para ele conseguir ver sua noiva, que está em uma barraca com sua própria família em outro lugar da cidade.

Eles trocam mensagens de voz quando podem, mas a comunicação é muito difícil em Rafah e Shalha não consegue entrar em contato com Badah há dois dias.

"Estou esperando poder me conectar com ela para lhe dar esse presente modesto", disse ele, mostrando um xale que comprou para Badah em vez dos presentes mais elaborados que queria dar a ela antes de o conflito destruir seus planos.

A guerra de Israel em Gaza foi desencadeada pelo ataque de 7 de outubro, quando combatentes do Hamas romperam as cercas da fronteira com o sul de Israel para matar cerca de 1.200 pessoas e fazer 253 reféns, de acordo com registros israelenses.

O ataque israelense a Gaza já matou mais de 28.000 pessoas, de acordo com autoridades de saúde da Faixa de Gaza, administrada pelo Hamas, com a maior parte do enclave em escombros.

"O Dia dos Namorados é conhecido pelas rosas vermelhas e corações vermelhos. Mas agora o vermelho é a cor do sangue. Tudo o que você vê é vermelho: morte e destruição... isso faz nossa pele arrepiar", disse Shalha.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade