PUBLICIDADE

Mundo

Homem condenado por atacar marido de Nancy Pelosi pega 30 anos de prisão - novamente

28 mai 2024 - 17h00
Compartilhar
Exibir comentários

O homem que foi condenado por agredir o marido da então presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, em 2022, foi condenado novamente a 30 anos de prisão nesta terça-feira, sem mudanças em sua sentença original, após o caso ser reaberto para que ele pudesse falar durante sua audiência de sentença, de acordo com a imprensa local. 

David DePape foi originalmente condenado a 30 anos de prisão em 17 de maio por invadir a casa de Pelosi em São Francisco na madrugada de 28 de outubro de 2022 e acertar o seu marido, Paul, na cabeça com um martelo, em um ataque motivado por política. 

Durante a audiência de sentença original, a juíza Jacqueline Scott Corley não deu a DePape a chance de se dirigir ao tribunal, um "claro erro" de acordo com leis judiciais federais, escreveu a juíza em um documento judicial no dia seguinte. 

Ela marcou uma audiência para esta terça-feira para resolver a questão, permitindo que DePape falasse em seu próprio nome. Ele o fez, pedindo desculpas pelo ataque, antes de Corley condená-lo novamente a 30 anos de prisão, segundo a emissora ABC7, afiliada local da ABC em São Francisco. 

Em novembro, um júri considerou DePape culpado de tentar sequestrar um agente federal e agredir um membro da família imediata de um agente federal. Os promotores disseram que o homem de 44 anos foi motivado por teorias da conspiração de extrema-direita conhecidas como QAnon. 

Paul Pelosi, 82 anos, sofreu fraturas no crânio e outros ferimentos que continuam a afetá-lo, segundo uma carta apresentada ao tribunal. Além de sofrer tontura e seguir com uma placa de metal em sua cabeça, Pelosi afirmou que tem problemas de equilíbrio e danos permanentes nos nervos da mão esquerda.  

DePape também responderá a acusações estaduais pela invasão e agressão contra Pelosi, incluindo tentativa de assassinato. Essas acusações carregam uma possível sentença de 13 anos a prisão perpétua. Ele se declarou inocente. 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade