PUBLICIDADE

Mundo

Fundador do WikiLeaks Julian Assange se casa em prisão britânica

23 mar 2022 - 13h58
(atualizado às 15h13)
Compartilhar
Exibir comentários

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, se casou com sua parceira de longa data Stella Moris dentro de uma prisão de alta segurança no sudeste de Londres nesta quarta-feira em uma pequena cerimônia com a presença de quatro convidados: duas testemunhas oficiais e dois guardas.

Assange está preso enquanto autoridades dos Estados Unidos buscam sua extradição para ser julgado por 18 acusações relacionadas à divulgação pelo WikiLeaks de vastos registros militares e documentos diplomáticos confidenciais dos EUA há mais de uma década.

"Estou muito feliz e muito triste. Eu amo Julian com todo o meu coração e gostaria que ele estivesse aqui", disse Moris do lado de fora dos portões da prisão de Belmarsh após a cerimônia.

O australiano de 50 anos, que nega qualquer irregularidade, está na prisão de Belmarsh desde 2019 e antes disso esteve abrigado na embaixada do Equador em Londres por sete anos.

Enquanto morava na embaixada, teve dois filhos com Moris, uma advogada mais de uma década mais nova que ele, que conheceu em 2011, quando ela começou a trabalhar em sua equipe jurídica. O relacionamento deles começou em 2015.

A cerimônia foi realizada durante o horário de visita da prisão, onde alguns dos criminosos mais notórios do Reino Unido cumprem sentenças, incluindo o assassino de crianças Ian Huntley. Depois, os convidados foram convidados a sair imediatamente.

A prisão recusou permissão para que jornalistas ou fotógrafos estivessem presentes como testemunhas por motivos de segurança.

Para a ocasião, Moris usou um vestido de noiva de cetim lilás e Assange um kilt --uma homenagem aos laços familiares com a Escócia-- que foram criados pela estilista britânica Vivienne Westwood, que fez campanha contra sua extradição.

O vestido de noiva apresentava uma inscrição de uma mensagem pessoal de Westwood, e o longo véu foi bordado com palavras como "valente", "implacável" e "amor livre e duradouro".

"Para mim, Julian é uma alma pura e um lutador da liberdade", escreveu Westwood.

Do lado de fora da cadeia, Moris cortou um bolo de casamento e fez um discurso para os apoiadores que se reuniram para a ocasião.

"Vocês sabem que o que estamos passando é cruel e desumano", disse. "O amor que temos um pelo outro nos leva a esta situação e a qualquer outra que venha. Ele é a pessoa mais incrível do mundo. Ele é maravilhoso e deveria ser livre."

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade