2 eventos ao vivo

Polícia invade fábrica e mata suspeitos de ataque a revista

Refém teria sido libertado e estaria em segurança, segundo agência de notícias francesa

9 jan 2015
14h11
atualizado às 16h26
  • separator
  • 0
  • comentários

A prefeitura da polícia de Paris confirmou nesta sexta-feira que os dois irmãos suspeitos do atentado terrorista contra a revista Charlie Hebdo foram mortos pela polícia. Os dois haviam sido cercados em uma fábrica a nordeste de Paris. 

As forças de ordem francesas lançaram um ataque aos dois irmãos jihadistas entrincheirados em uma gráfica em Dammartin-en-Goele, onde os Kouachi estavam mantendo um refém. Pouco antes das 16h GMT (14h de Brasília), detonações e explosões foram ouvidas e uma coluna de fumaça começou a subir no local, constataram jornalistas da AFP no local.

O homem refém foi libertado e está em bom estado de saúde, de acordo com a rede pública de rádio France Info.

O caso
A caçada policial teve início na quarta-feira depois de um atentado na sede da revista Charlie Hebdo, no centro de Paris, que deixou 12 mortos e onze feridos. Pelo menos três pessoas seriam responsáveis pelo ataque, sendo dois deles, os irmãos Cherif e Said Kourachi.

A polícia identificou os dois após encontrar os documentos de identidade em um carro roubado que usaram para fugir depois do ataque na quarta-feira. Outro suspeito de 18 anos se entregou à polícia na madrugada de quinta-feira, porém alegou inocência.

Os irmãos foram vistos por testemunhas em um posto de gasolina na quinta-feira e, depois, ao nordeste de Paris, próximo a um complexo industrial, na manhã desta sexta. Os dois se esconderam dentro de uma fábrica, mantendo um homem refém. A polícia cercou o local. 

A ação policial conseguiu invadir a fábrica e, depois de explosões e tiros serem ouvidos, foi confirmado que Cherif e Said foram mortos.

Os dois teriam ligações com o grupo terrorista Al-Qaeda. 

Com informações da AFP e EFE. 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade