0

Silvio Berlusconi quer voltar a disputar eleições

Berlusconi, de 82 anos, foi expulso do Senado e impedido de assumir cargos públicos depois de sua condenação por corrupção.

17 jan 2019
18h00
atualizado às 18h18
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O ex-primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, disse nesta quinta-feira que vai ser candidato nas eleições ao Parlamento Europeu em maio, concorrendo a um cargo público pela primeira vez desde que foi condenado por fraude fiscal, em 2013.

Silvio Berlusoni após reunião em Roma
12/04/2018 REUTERS/Max Rossi
Silvio Berlusoni após reunião em Roma 12/04/2018 REUTERS/Max Rossi
Foto: Reuters

Berlusconi, de 82 anos, um chamativo magnata da mídia e político propenso a escândalos, foi expulso do Senado e impedido de assumir cargos públicos depois de sua condenação por corrupção.

Entretanto, a proibição foi suspensa em maio do ano passado, permitindo que ele voltasse a ter ambições eleitorais.

"Em minha madura idade avançada, decidi a partir de um senso de responsabilidade ir para a Europa, onde há escassez de uma profunda visão de mundo", disse o sempre bronzeado Berlusconi a apoiadores na ilha mediterrânea da Sardenha.

Ter o nome como cabeça da chapa de seu partido, o Forza Italia, nas eleições da União Europeia deve garantir visibilidade a Berlusconi e quase certamente lhe garantir a eleição. Não há garantias, porém, de que ele passe muito tempo em Bruxelas caso eleito.

Os líderes italianos com frequência se candidatam a cargos europeus somente para depois focar na política de seus países após a votação.

Uma das maiores polêmicas políticas de Berlusconi teve início no Parlamento europeu em 2003, quando era primeiro-ministro e comparou um parlamentar alemão a um guarda de campo de concentração nazista.

Veja também:

Letônia atrai turistas com casa espelhada sobre rio
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade