0

Esfaqueamento deixa três mortos em Nice; 'ataque terrorista', diz prefeito

Christian Estrosi disse que tudo apontava para 'ataque terrorista no coração da Basílica de Notre-Dame'; uma pessoa foi presa.

29 out 2020
06h59
atualizado às 07h25
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Três pessoas foram mortas em um ataque com faca na cidade de Nice, no sul da França, disse a polícia.

O prefeito de Nice, Christian Estrosi, afirmou que tudo apontava para um "ataque terrorista no coração da basílica de Notre-Dame".

A polícia disse que uma mulher foi decapitada no ataque e Estrosi falou em "islamofascismo". O suspeito foi detido logo após o ataque.

Os promotores nacionais antiterror da França abriram um inquérito de assassinato.

O prefeito disse a repórteres que o suspeito "repetiu indefinidamente 'Allahu Akbar' ("Alá é o maior", em português) quando estava sendo tratado no local".

Estrosi disse que um dos mortos era o zelador da basílica.

O ministro do Interior fez um apelo às pessoas para evitarem a área no centro da cidade da Riviera Francesa. Gérald Darmanin disse que estava convocando uma reunião de crise no ministério em Paris.

Um minuto de silêncio foi feito na Assembleia Nacional, onde o primeiro-ministro, Jean Castex, acabara de dar detalhes do novo lockdown que entrou em vigor na noite de quinta-feira.

"Sem dúvida, este é um novo desafio muito sério que está atingindo nosso país", disse ele, fazendo um apelo por unidade e coesão.

O ataque em Nice ocorre quase duas semana após a morte do prefessor Samuel Paty em uma escola nos arredores de Paris.

Segundo a polícia francesa, Paty foi decapitado por Abullakh Azorov, de 18 anos, por ter mostrado a seus alunos charges do profeta Maomé, figura sagrada no islamismo, como parte de uma aula sobre liberdade de expressão. Azorov foi morto a tiros pela polícia.

Em julho de 2016, Nice foi palco de outro atentado, em maior escala. Um caminhão atropelou diversas pessoas que estavam assistindo à queima de fogos em comemoração ao 14 de Julho, Dia da Bastilha, matando 86 pessoas e ferindo outras 500.

O ataque terminou após uma troca de tiros com a polícia, que matou o condutor, identificado como o tunisiano Mohamed Lahouaiej-Bouhlel, de 31 anos, que morava na França.

Foto: BBC News Brasil

 

Veja também:

As irmãs Khachaturyan: o assassinato que divide a Rússia
BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade