PUBLICIDADE

Busca por origem da Covid-19 está "envenenada pela política", diz especialista da OMS

28 mai 2021 16h17
ver comentários
Publicidade

O especialista em emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS) disse nesta sexta-feira que a busca pela origem do coronavírus esta sendo "envenenada pela política" poucos dias depois de o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ordenar que assessores encontrem respostas.

Mike Ryan em Genebra
 3/5/2019   REUTERS/Denis Balibouse
Mike Ryan em Genebra 3/5/2019 REUTERS/Denis Balibouse
Foto: Reuters

Desde o surto do vírus que surgiu na cidade chinesa central de Wuhan em dezembro de 2019, cientistas tentam solucionar o enigma de onde o vírus se originou.

"Gostaríamos que todos separassem, se puderem, a política deste assunto da ciência. Este processo todo está sendo envenenado pela política", disse Mike Ryan aos repórteres.

Uma equipe liderada pela OMS passou quatro semanas dentro e nos arredores de Wuhan com pesquisadores chineses, e disseram em um relatório emitido em março que o vírus provavelmente foi transmitido de morcegos a humanos através de outro animal.

A equipe afirmou que a "introdução através de um incidente de laboratório foi considerada uma rota extremamente improvável".

Mas muitos políticos e diversos cientistas não estão satisfeitos.

Na quarta-feira, Biden ordenou que assessores encontrem respostas sobre a origem do vírus, dizendo que agências de inteligência dos EUA estão verificando teorias conflitantes, o que pode incluir a possibilidade de um acidente laboratorial na China.

Na quinta-feira, os EUA pediram que a OMS realize um segundo inquérito.

"Cada país e cada entidade são livres para buscar suas próprias teorias de origem particulares, é um mundo livre", disse Ryan. "A OMS é uma organização e procuramos trabalhar com todos os nossos estados membros para buscar respostas coletivamente."

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade